Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Amigos do coração’ Category

Convidamos a AMIGA Ale Nahra para uma pequena ação dos  AMIGOS da MANCHA na favela do Moinho  e copiamos  a matéria  do  http://herbivora.com.br/amigos-da-mancha-ajudando-animais-e-pessoas/
BICHOS, PESSOAS

Amigos da Mancha ajudando animais e pessoas

castração

A moça acomoda uma sacola em cada braço, põe o capacete, sobe na Vespa, e toca pra Barra Funda. Estaciona na entrada da favela do Moinho, tira das sacolas o saco de ração, começa a alimentar os gatos – e daqui a pouco vão chegando os moradores, que já sabem que ali tem comida e tratamento para os bichos e ajuda e atenção para as gentes.

Isso acontece pelo menos a cada 15 dias. A moça é a Cristina, que há quase uma década começou o trabalho chamado de Clube da Mancha. Mancha era o nome da primeira cachorrinha ajudada pela arquiteta e fotojornalista – que virou mascote e deu o nome ao clube. E os amigos da Mancha somos nós, eu e você, qualquer pessoa que queira ajudar. “Não fazemos nada sozinhos. Contamos com os amigos e amigas para continuar o trabalho”, diz a Cris.

Na favela – ou em prédios ocupados, ou para moradores de rua que têm cachorros – Cristina distribui ração, coleiras anti-pulga, vermífugo. Quando vai junto uma veterinária, cães e gatos são vacinados. As visitas têm como finalidade sensibilizar para a importância da castração, inscrever os animais no próximo mutirão, prepará-los (precisam estar saudáveis, com peso adequado, sem vermes e sem pulgas), e fazer o acompanhamento.

Todo este nosso projeto tem como objetivo localizar e castrar os animais em situação de rua para o fim de crias indesejadas, porque não existem famílias para 75% dos animais ja resgatados por grupos de proteção. A castração é o que garante o fim do ciclo de abandono e maus tratos.

Os mutirões de castração do Clube da Mancha para animais em situação de rua acontecem todos os meses. Uma média de 40 animais são castrados em cada edição do mutirão. Cristina e alguma das amiga da Mancha (as voluntárias não-oficiais, já que a Mancha não é uma ONG) recolhem os animais de manhã cedo, levam para a clínica, e devolvem no final do dia, depois de passada a anestesia – e fazem o acompanhamento com os tutores nos dois dias seguintes, via celular e WhatsApp ou pessoalmente se necessário. As castrações têm custo zero para os tutores dos animais. Os procedimentos são bancados pelos amigos da Mancha. Tudo que a Mancha faz é com ajuda dos colaboradores: a carona para ir à favela levar ração (tente levar um saco de 15kg de ração na Vespa), o transporte para buscar os animais para castrar e devolvê-los, o custo de eventuais procedimentos cirúrgicos (neste mês, por exemplo, foram realizadas duas cirurgias, em uma gatinha com a bacia quebrada e uma cachorrinha com o fêmur quebrado). As coleiras  anticarrapaticidas são doadas pelo projeto Moradores de Rua e Seus Cães;  vacinas são doadas por amigas veterinárias. A vermifugação pré castração, medicação pós castração em caso de piometra (infecção de útero), ou para tratamentos eventuais como sarna, hemograma, raio x e exames complementares a pedido dos veterinários são custeados pelo Clube da Mancha.

A Cris realiza um trabalho grandioso. Incansável, ela envolve e sensibiliza as pessoas para conseguir a colaboração imprescindível para a continuação do projeto dos mutirões de castração. Não seria possível fazer tudo isso sozinha. Para que o trabalho aconteça de forma consistente é preciso uma rede de pessoas interessadas e de boa vontade. E a Cristina tem o carisma necessário para atrair essa rede. Tem amiga que dá carona, amiga que acolhe temporariamente até que sejam adotados, amiga que colabora financeiramente, amiga que faz campanha para arrecadar ração – e assim vai. E a Cris não tem frescura quando se trata de pedir ajuda. Está sempre conversando com alguém, atenta a como cada pessoa pode colaborar, e gentilmente sugerindo que colaborem.

Precisamos da ajuda de todos, da forma que cada um der conta, mesmo que pequena. Ajude a conseguir adoção ou apadrinhamento para um cão e ou gato, entre seus amigos. Promova um evento – bazar, brechó, almoço – para arrecadar contribuições para os mutirões. Doe espaço na sua mídia, compartilhe nas redes sociais nossos posts de divulgação de adoção e apadrinhamento.

Amigos da Mancha é um projeto voluntário que tem recursos apenas de doações. Quer ajudar?

  • Você pode ser madrinha ou padrinho, patrocinando a castração de uma cachorra ou gatinha. Ou colaborar financeiramente com qualquer quantia. Dados para depósito: Bradesco ag 2979 cc 2678-6, em nome de M.C.G.M. de Almeida, CPF 075.226.648-96
  • Você pode oferecer lar temporário para animais que estão para adoção.
  • Você pode doar ração, ou fazer uma campanha de doação de ração entre seus amigos, família, vizinhos, colegas de trabalho.
  • Você pode oferecer carona para levar ração ou buscar e devolver os animais para os mutirões de castração.
  • Você pode acompanhar a Cristina nas visitas aos cães e seus tutores, e ajudar a cadastrar os animais para as castrações, colocar as coleiras, dar medicação, ração, carinho.
  • Você pode divulgar o trabalho da Mancha. Seguir a página no Facebook e no Instagram, compartilhar os posts, comentar e dar muitos likes, para que os posts tenham maior alcance. Quanto mais gente ficar sabendo das ações da Mancha, mais ajuda o projeto consegue.

ACOMPANHE AMIGOS DA MANCHA NAS REDES SOCIAIS:

Facebook – https://www.facebook.com/mancha.ong

Instagram – https://www.instagram.com/amigosdamancha/

Blog – https://clubedamancha.wordpress.com/

E-mail – clube-mancha@bol.com.br

___

Gostou? Veja mais posts sobre bichos.

Curtiu? Segue Herbívora no Facebook e assina o HerbivoraTube

Read Full Post »

Os Amigos da Mancha  são um projeto VOLUNTÁRIO  QUE TEM RECURSOS APENAS de DOAÇÕES, você nos ajuda a castrar mais e mais  animais em situação de rua, porque  só Juntos podemos ser a MUDANÇA que queremos ver no mundo.

Este ano ao  criarmos o projeto madrinhas e padrinhos de castração  de animais em situação de rua do Clube da Mancha,   Com a ajuda de  6 veterinários  Dra Eliane Botti , Dra Amarilis Garcia , Dra Vanessa Canete, Dra Camila Nipper,dr Tineu Romano, dr Alexandre e do Centro de Control de Zoonoses  de São paulo, tivemos que pensar como trazer todos os animais em situação de rua até á clinica Pode parecer pouco, mas tudo isto só foi possivel porque  saímos atrás dos Amigos aqui da rua mesmo, pedindo caronas solidárias no leva e trás   , dos cães e gatos da favela em situação de rua até á Clinica e na entrega após a castração, cada um em seu proprio carro.  Sem os quais não teríamos como castrar  todos os 18 cães , 60 cachorras,25 gatos, 51 gatas, todos animais em situação de rua.

Aproveitamos e fazemos nosso agradecimento público aos Amigos os “CARONAS SOLIDÀRIOS” a  Kylvia, o Eduardo,a Patricia, a Telma , a Carolina , a Suzana  e a Dra Eliane que após castrar os animais ainda fez todas15713168_1192812007492492_1122808489_n-2  as entregas dos animais castrados no dia.20161222_083933
20161107_151421
 Bom  para dizer a verdade não é só uma carona, é estar junto e dividir  as vidas que chegam a nós e que não podemos deixar para trás. Os ” Caronas Solidários ” acabaram adotando e ou sendo lares temporários  das vidas que ninguém queria.20161129_111931
20161207_151524-copia
20161220_135340-copia15724089_1192811520825874_641635730_n-1

Read Full Post »

Os Amigos da Mancha  são um projeto VOLUNTÁRIO  QUE TEM RECURSOS APENAS de DOAÇÕES, você nos ajuda a castrar mais e mais  animais em situação de rua, porque  só Juntos podemos ser a MUDANÇA que queremos ver no mundo.

Este anos criamos o projeto madrinhas e padrinhos de castração  de animais em situação de rua do Clube da Mancha,   E com a ajuda de  6 veterinários  Dra Eliane Botti , Dra Amarilis Garcia , Dra Vanessa Canete, Dra Camila Nipper,dr Tineu Romano, dr Alexandre e do Centro de Control de Zoonoses  de São paulo, conseguimos castrar 18 cães , 60 cachorras,25 gatos, 51 gatas. todos animais em situação de rua. Pode parecer pouco, mas estes animais, entregues à própria sorte e se reproduzindo de maneira descontrolada, poderiam chegar facilmente a gerar milhares de filhotes que gerariam mais outros milhares, em um círculo infinito de abandono e sofrimento. Estamos  Felizes por termos feito este ano muitos novos AMIGOS .Claro que gostaríamos de ter feito mais. Nossa luta não termina. 2017 vem aí e novos mutirões de castração serão realizados e contamos com mais  novos Amigos veterinários nos ajudando Porque acreditamos que o caminho mais seguro para um futuro sem animais na rua seja a castração, uma vez que é quase impossível pensar que todos que nascerem serão adotados. Em 2017, mais do que nunca, contamos com a disposição e o apoio de todos. Juntos podemos ser a MUDANÇA que queremos ver no mundo.

Os Amigos da Mancha  são um projeto VOLUNTÁRIO  QUE TEM RECURSOS APENAS de DOAÇÕES; quem tiver interesse em colaborar  conosco, sendo Madrinha ou Padrinho  colaborando com uma castração de  uma cachorra ou gatinha, para só assim castrarmos mais e mais cães e gatos em situação de rua no espaço urbano da cidade de São Paulo.

contato via email clube-mancha@bol.com.br   ou  bradesco ag.2979 cc2678-6 nome M.C.G.M. de Almeida cpf 075226648-9612939141_966658626774499_1237816379_n (1)15226477_1159206850853008_1685434881_n 15731376_1192807244159635_1729499453_n 15731683_1192809134159446_761143848_n 15778399_1192815247492168_41517621_o15712932_1192810990825927_231575347_n 15713302_1192810300825996_928610711_n 15722441_1192809634159396_2123277899_n 15722820_1192809730826053_1839081514_n 15723894_1192807810826245_324726246_n-1 15724243_1192808020826224_749284020_n 15725988_1192808997492793_1596357114_o 15731003_1192880237485669_1913068425_n 15731292_1192813324159027_1845403897_n 15731345_1192810684159291_1769389178_n 15731369_1192811654159194_277236789_n 15731460_1192809844159375_1597481331_n 15731623_1192811124159247_960960096_n 15731664_1192807607492932_1166207348_n 15748974_1192815380825488_804678295_o 15749445_1192811050825921_1512879755_n 15749638_1192809924159367_1476366476_n 15749890_1192809390826087_446294794_n 15749902_1192810014159358_1574683293_n 15778176_1192815050825521_1093003294_o 15778399_1192815247492168_41517621_o

Read Full Post »





Este ano foi um ano cheio de AMIGOS da MANCHA , resgatamos, cuidamos, castramos e doamos cães e gatos.

Os Amigos da mancha  são um projeto VOLUNTÁRIO  QUE TEM RECURSOS APENAS de  DOAÇÕES; quem tiver interesse em colaborar  conosco, sendo Madrinha ou Padrinho  colaborando com uma castração de  uma cachorra ou gatinha, para só assim castrarmos mais e mais cães e gatos em situação de rua no espaço urbano da cidade de São Paulo.

contato via email clube-mancha@bol.com.br   ou  bradesco ag.2979 cc2678-6 nome M.C.G.M. de Almeida cpf 075226648-96.14222205_713801765426708_7836182719500337134_n
img_20160217_231948
14249175_1072196392887388_990791525_n20160308_163024

20160824_113023
dsc_3864

20160819_152048

20160827_172630

14625339_1102626619844365_1033941896_n
14658256_1102626636511030_1819423620_n 20160720_120815
14247780_1075125082594519_749364018_o
13883923_1042731002500594_1981543853_n
IMG_20160206_122758


IMG_20160203_131618
14793901_1115187668588260_1539817813_n 14938076_1131795080260852_1513107323_n 15032338_1127627147358424_487076542584747667_n 15398938_1168880773218949_1435401409_o15226477_1159206850853008_1685434881_n


20160318_113107
20160330_110403
20160330_111551
20160330_124205

Read Full Post »

Os amigos animais
14961515_1127567874016906_678539465_n
Um atum mudou a minha vida. Não, eu não tive uma intoxicação alimentar semi-fatal depois de comer atum estragado. Foi um atum vivo que operou sua mágica em mim, quando eu o encontrei nadando, majestoso, prisioneiro em um aquário desses que as pessoas pagam pra visitar e ver peixes. Ali eu percebi que não podia mais comer atuns – que eles são seres únicos, indivíduos sencientes, que têm uma vida particular, não subordinada aos humanos. Não: o atum não existe para me alimentar. Aquele encontro me tocou profundamente. Mas, pra que isso acontecesse, foi preciso outro encontro antes. A Júpiter, minha primeira gata adotada, abriu meu coração pra todos os outros bichos do mundo. Por causa dela me envolvi com a proteção animal – e tive sensibilidade para absorver o aprendizado do atum… Eu acho que os bichos têm um plano secreto. Eles combinaram: nós, os bichos de “consumo” – vacas, galinhas, porcos, peixes etc – vamos viver em condições horrendas e sofrer pacas, porque os humanos precisam aprender o que eles têm que aprender. E nós, os bichos fofos – gatos, cachorros, hamsters etc – vamos entrar nas casas das pessoas e abrir o coração delas para a compaixão. Eu fui “pega” por uma gata e um atum! Cada encontro importa. Todos que encontro no meu caminho significam alguma coisa, todos têm algo pra me dizer. Por isso eu falo com pessoas na rua, quando vejo nelas algo que me entusiasma ou desperta a curiosidade – mesmo que não as conheça (ainda). Por isso sorrio, olho pra elas, falo bom dia, puxo conversa. Por isso eu paro, admiro, afofo e falo com cada bicho que atravessa meu caminho, seja cachorro, gato, pássaro, lagartixa, galinha, peixe. A gente tem que OLHAR os outros. E estabelecer as conexões entre corações. Nós somos todos companheiros de espaço-tempo. Já parou pra pensar na oportunidade que é estar vivo? E o quão ínfimo, na escala cósmica, é nosso tempo aqui na Terra? Não pode ser à toa que nos encontramos – eu, tu, esses bichos – nesse átomo de momento. Todo mundo tem um trabalho aqui na vida (e provavelmente não é esse aí do escritório). A gente tem que fazer o que a gente veio pra fazer. “A pessoa é pra o que ela nasce”. Persevera no teu trabalho cósmico. Conheci uma moça linda, lá na Bahia, cujo trabalho cósmico é alimentar passarinho e gente. E tem outra moça, a Patrícia, que tem o santuário Vale da Rainha, em Minas Gerais, que acolhe bichos domésticos e animais que seriam destinados ao abate ou à produção de alimentos. Ela faz fotos lindas, vídeos emocionantes, e textos que, invariavelmente, me fazem chorar (de amor). Ela diz que os bichos são os “mestres animais”. Que estão aqui para ensinar bicho gente a amar. O trabalho da Patrícia é tratar mestres animais que passaram (ou passariam) por poucas e boas. O trabalho da Cris Amigos da Mancha é olhar os bichos, levar no médico, curar – e ajudar os humanos deles. Gente que para, olha, ajuda os outros todos – seja humano ou animal. É assim que quero ser. eu sou a alessandra nahra vivo com 5 gatos e 1 cachorro (todos tirados das ruas) cultivo uma horta na laje de um sobrado em São Paulo gosto de sol mar viajar ler comer dançar ESCREVER alimentar os outros cuidar sou madrinha de resgates, adoções, castrações de bichos é pra isso que eu sirvo
Alessandra Nahra Leal ” nossa” Madrinha de Estimação da Preta Gil, cachorrinha resgatada da pç princesa Isabel pela familia do Cosme e da Vilma14501909_1092255300881497_2136759818_n

Read Full Post »

Conhecemos a família da Vilma no Evento de “Moradoresderuaeseuscaes” dia 17 de setembro e vimos acompanhando a família14469118_1092255344214826_1104172163_n 14470953_1092255447548149_334128446_n 14483737_1092255427548151_1374551857_n 14501909_1092255300881497_2136759818_n. A Vilma e o Cosme vivem há dois anos num cómudo  de uma ocupação  na Al.barão de Piracicaba no Centro de S.Paulo têm 5 filhos  Ingred 16, Isaac8, Iara7, Isadora5, Isaias4.14466228_1092255397548154_235264006_o 14502053_1092255540881473_851632712_n 14518465_1092255497548144_702559046_n 14522239_1092255117548182_251173826_o E  3 gatos adultos  o Tigre resgatado da rua faz um mês, a Rebeca com 3 meses de idade filha da gatinha Princesa; os dois já  que castramos dia  21 de set e a Mãezinha a Princesa que teve a segunda cria de 8 gatinhos dia 16 de setembro .  Uma cachorra resgatada da rua a Preta Gil que vamos castrar dia 19 de Outubro. E ontem apareceu um cachorrinho o Damião tambem perdido. A Vilma nos pediu ajuda para doar o Damião e os 8 filhinhos da Princesa.  
hoje, levamos ração , no Damião e  vermífugamos e aplicamos antipulgas no Damião semana que vem vamos fazer a primeira dose da v10 no Damião e na Preta Gil.
Ouvimos muitas histórias de famílias iguais à da Vilma  , muitas desempregadas,
que fazem muitos sacrifícios para ter e manter um grande número de animais em suas minúsculas casas, algumas de um cómodo só, pois preferem tê-los do que vê-los abandonados, sendo mal tratados , morrendo na rua e na porta de casa . E são essas histórias que não nos deixam desistir de nosso objetivo, pois queremos acabar com a crueldade e o abandono dos animais.
quanto mais animais castrados, menos animais abandonados! e menos maus tratos e sofrimento.
se você tambem quizer ajudar a Vilma entre em contato clube-mancha@bol.com.br

nos acompanhe no
Instagram amigosdamancha

Read Full Post »

Materia publicada no Guia litoral.com.br

Apelidados de “cão babá”, os Pit Bulls eram considerados perfeitos para cuidarem de bebês e crianças por serem extremamente pacientes e confiáveis. Nos testes de comportamento, a raça ficou apenas atrás da Golden Retriever


Símbolo desde as famílias mais abastadas até as mais humildes, o Pit Bull era presença garantida nas residências com crianças - Foto: Reprodução
Símbolo desde as famílias mais abastadas até as mais humildes, o Pit Bull era presença garantida nas residências com crianças – Foto: Reprodução

Retratada costumeiramente como uma raça violenta, o Pit Bull já teve uma fama bem diferente da atual. No século XIX e XX, ele era apelidado nos Estados Unidos como “The Nanny Dog” (cão babá, em português) por ser considerado ideal para ‘cuidar’ de bebês e crianças. A explicação é a sua paciência e confiança, bem acima das outras raças caninas.

Símbolo desde as famílias norte-americanas mais abastadas até as mais humildes, o Pit Bull era presença garantida nas residências com crianças.

Antes de serem criados e treinados por seres humanos para serem violentos, eles foram aprovados em diversos testes de comportamento, que os classificavam como a segunda raça mais tolerante, atrás apenas dos dóceis Golden Retriever’s. Na época, os testes foram realizados em dezenas de raças diferentes.

Os estudos expunham os animais a possíveis situações que passariam com as crianças, como mexer no rabo, colocar o dedo nos olhos e os Pit Bulls ganharam a segunda melhor nota. Já no quesito proteção domiciliar, a raça ficou mal classificada e foi considerada inapta por fazer amizade inclusive com desconhecidos. Apenas ao final da 2ª Guerra Mundial que o Pit Bull foi abandonado de sua função como ´cão babá´ e passou a ganhar uma fama negativa.

A amizade entre a raça e as crianças era tão grande, que mesmo numa época que a fotografia não estava acessível a todos, era comum os pets serem clicados ao lado dos pequenos. Os primeiros registros datam de meados do século XIX.

Os Pit Bulls foram aprovados em diversos testes de comportamento, que os classificavam como a segunda raça mais tolerante - Foto: Reprodução
Os Pit Bulls foram aprovados em diversos testes de comportamento, que os classificavam como a segunda raça mais tolerante – Foto: Reprodução

No século XIX e XX, os Pit Bulls eram apelidados de cão babá por serem considerados ideais para 'cuidarem' de bebês e crianças - Foto: Reprodução
No século XIX e XX, os Pit Bulls eram apelidados de cão babá por serem considerados ideais para ‘cuidarem’ de bebês e crianças – Foto: Reprodução

A amizade entre os Pit Bulls e as crianças era tão grande, que mesmo numa época que a fotografia não estava acessível a todos, era comum os pets serem clicados ao lado dos pequenos - Foto: Reprodução
A amizade entre os Pit Bulls e as crianças era tão grande, que mesmo numa época que a fotografia não estava acessível a todos, era comum os pets serem clicados ao lado dos pequenos – Foto: Reprodução

Apenas ao final da 2ª Guerra Mundial que o Pit Bull foi abandonado de sua função como 'cão babá' e passou a ganhar uma fama negativa - Foto: Reprodução
Apenas ao final da 2ª Guerra Mundial que o Pit Bull foi abandonado de sua função como ‘cão babá’
e passou a ganhar uma fama negativa – Foto: Reprodução

Já no quesito proteção domiciliar, os Pit Bulls ficaram mal classificados e foram considerados inaptos por fazerem amizade inclusive com desconhecidos - Foto: Reprodução
Já no quesito proteção domiciliar, os Pit Bulls ficaram mal classificados e foram considerados inaptos
por fazerem amizade inclusive com desconhecidos – Foto: Reprodução

Os estudos expunham os animais a possíveis situações que passariam com as crianças, como mexer no rabo, colocar o dedo nos olhos e os Pit Bulls ganharam a segunda melhor nota - Foto: Reprodução
Os estudos expunham os animais a possíveis situações que passariam com as crianças, como mexer no rabo,
colocar o dedo nos olhos e os Pit Bulls ganharam a segunda melhor nota – Foto: Reprodução

Retratada costumeiramente como uma raça violenta, o Pit Bull já teve uma fama bem diferente da atual - Foto: Reprodução
Retratada costumeiramente como uma raça violenta, o Pit Bull já teve uma fama
bem diferente da atual

Read Full Post »

Older Posts »

%d blogueiros gostam disto: