Feeds:
Posts
Comentários

 

Alexandre Staut ,publicado em Vida Breve

Os gatos e o fulgor da monotonia

Esta semana chegou novo morador em casa, um gato branco de orelhas, rabo e focinho amarelos, que primeiramente foi chamado de Bianco, depois de Tutu, Carinhoso, até receber o seu nome definitivo, Pedrinho. Tem dois meses, veio da favela do Moinho, em São Paulo, e me foi oferecido por  Amigosdamancha, que faz trabalho lindo , castrando animais abandonados e os ajudando a encontrar um lar.

Dar nome a um bicho requer tempo e persistência. Alguns parecem sugerir como querem ser chamados. Assim que olhei para Ferrugem, gata ruiva de olhos que combinavam com a pelugem, seu nome parece ter sido soprado nos meus ouvidos. Ferrugem foi embora cedo para o céu dos gatinhos.

Enquanto corria para lá e para cá, de veterinário em veterinário, tentando salvar essa gata, conheci o Clube da Mancha. Ferrugem partiu e sugeriram que eu adotasse uma gata de mais de um ano e com cara de bicho polar selvagem. Logo que apareceu na minha frente, olhou para mim, miou e se enroscou nas minhas pernas. Uma gata comunicativa. Quase uma boneca de pelos. O nome estava escolhido, Emília.

Mais uns meses, passeava pelo centro de São Paulo, até ver duas gatinhas recém-nascidas numa gaiola, nas dependências da ONG Natureza em Forma, que também faz belo trabalho e cuida gatos, cachorros e de pombas machucadas, além de resgatar galos de rinha. Pedi para pegar um dos felinos. Percebi que carregada uma rajada e esbelta. Vou levar para casa, disse à funcionária do lugar. Essa recebeu o nome de Brigite, mas, conforme crescia, passei a chamá-la de Rajadinha, Tigrinha, e depois, Brioche. Agora, responde por Bri. Sendo que o seu nome completo é Brigitte Brioche.

Emília, a primogênita, havia sido jogada numa lata de lixo, em Perdizes, pouco antes da adoção. Isso explica o seu comportamento temperamental. Da doçura extrema, pode virar um bicho selvagem em poucos segundos. Basta um simples carinho na barriga gorda e ela mostra os dentes afiados… e morde.

Quando Bri chegou em casa, apanhou um dia inteiro da Emília. Mas no terceiro dia, a primogênita a adotava e a lambia, numa espécie de cerimônia de concentração e silêncio. Com Pedrinho aconteceu o mesmo. Durante um dia inteiro foi espancado por Emília, que faz questão de mostrar que manda na casa. No terceiro dia, porém, ela amanheceu aos carinhos com o novo morador.

Bri, que é submissa à Emília, pareceu esperar a reação da mestra, à espreita, meio de longe, sem dar um miado. Assim que a dona da casa se aproximou do novo morador, Bri também foi lambê-lo.

Hoje, ao sair de casa, os três encontravam-se aninhados, numa harmonia que dificilmente existe entre nós, humanos. Então me lembrei da frase que um ex-marido da Inês Amorozo falava sobre gatos, e que atribuía a Guimarães Rosa: “Eles descobriram o fulgor da monotonia!”. E também de uma frase que, certa vez, ouvi Nilma Lacerda dizer, atribuindo-a a Hélio Pellegrino: “Os bichos estão tão integrados ao Universo, que ignoram a falta que preside os humanos. Por isso, não necessitam da linguagem e a gente sim.” Bonito, não é?

Em matéria publicada na revista do jornal Folha de SP na seção bichos, Silvia Corrêa nos conta o que já sabíamos, de forma comprovada , que somos um país de casas multicats onde os desafios se multiplicam. E o professor Archivaldo Reche uma das maiores autoridades em felinos perguntou  a 585 clientes quantos gatos tinham em casa,delas 85% tinham dois ou mais gatos e 50% tinham cinco ou mais gatos.Na natureza eles se organizam em matriarcados, há tolerância com os filhotes mas novos indivíduos adultos dificilmente  são aceites. Mas  nas nossas casas a situação é exatamente oposta.Sem acesso á rua, com pouco espaço, e pouca diversão eles são misturados sem laços de parentesco e sem ambientação.E brigas entre os gatos são muito comuns.Por isso sempre recomendamos adotar famílias, mãe e filhos ou dois irmãos para que não fiquem sozinhos.E da pouca experiência de já 20 anos sabemos que quem não faz o que sugerimos muitas vezes quer desistir da adoção ou mais tarde adota outros e tem dificuldades na adaptação . Adote em pares de preferência da mesma família.Adote a Mãezinha e seus filhinhos Jerry & Adriani castrados e vacinados .Adoção posse Responsável.

Ação conjunta @amigosdamancha e @moradoresderuaeseuscaes .Ação Fotográfica de Ocupação da Cidade no Parque MINHOCÃO. Dia 23 Abril  com EduLeporo fotógrafo de pets e do projeto @moradoresderuaeseuscaes. E assim a Arte vira Projeto Social.

Local Poste 31 Dia 23 Abril a partir 15h Retrato solidário 30 reais Uma ampliação 20×30 Apoio: revelaphoto.com.br

 

Você gostaría de fazer um retrato de Estúdio com um fotografo   , e não teve oportunidade ainda ? Então esta  é hora, convidamos os Amigos Fotógrafos  que vão oferecer um dia de seu trabalho de estúdio para fazer retratos.  
O Edu Leporo vai montar seu estúdio no Minhocão dia 23 de Abril  com 100% da renda revertida para  ajudar os Amigos da Mancha.
Somos um projeto VOLUNTÁRIO QUE TEM RECURSOS APENAS de DOAÇÕES, você nos ajuda a castrar mais e mais animais em situação de rua, porque só Juntos podemos ser a MUDANÇA que queremos ver no mundo. Enquanto  aguardamos uma atenção do poder público pensamos em fazer Ações fotográficas  . Porque uma vez mais, vimos que é isso  Decidimos fazer por nós mesmos. Porque a lição que fica  é; Sempre é preciso de mais ajuda, mas a gente aprendeu no processo que não dá pra ficar esperando juntar todo mundo pra começar a agir. A gente prefere fazer o que é possível do que não fazer nada” e assim oferecer um RETRATO de cães e gatos e seus donos ou só da sua família, ou  de você  enfim um retrato e não ficar parados não!Objetivo; com a fotografia arrecadar ajuda para viabilizar mais castrações de cães e gatos em situação de rua e dar uma visibilidade maior ao nosso projeto de resgate de animais em risco de vida em espaço publico e a adoção dos mesmos por famílias que os possam adotar de forma responsável. Esperamos mais uma vez contar com a solidariedade de todos os Amigos. Estas fotos foram realizadas agora dia 15 de  Abril quando estivemos no parque Minhocão , escolhendo locações para a ação fotográfica do dia 23 de Abril , com os cães Ovelhinha , Quindim e Branquinha que estão no hotelzinho aguardando Adoção posse Responsável 
 Você gostaría de fazer um retrato de Estúdio com um fotografo   , e não teve oportunidade ainda ? Então esta  é hora, convidamos os Amigos Fotógrafos  Beto Riginik e Gal Oppido que vão oferecer um dia de seu trabalho de estúdio para fazer retratos ,o Claudio Freitas
, a Rochelle Costi   vai fazer uma Ocupação  de retratos de Cães  na Av. Paulista e Edu Leporo vai montar seu estúdio no Minhocão
com 100% da renda revertida para  ajudar os Amigos da Mancha.
Somos um projeto VOLUNTÁRIO QUE TEM RECURSOS APENAS de DOAÇÕES, você nos ajuda a castrar mais e mais animais em situação de rua, porque só Juntos podemos ser a MUDANÇA que queremos ver no mundo. Enquanto  aguardamos uma atenção do poder público pensamos em fazer Ações fotográficas  . Porque uma vez mais, vimos que é isso ,” Cuida. Quem ama, sabe faz a hora, não espera acontecer. ” FAZ FAZENDO com amor  aos animais, ás pessoas e á cultura da cidade de São Paulo. Decidimos fazer por nós mesmos. Porque a lição que fica  é; Sempre é preciso de mais ajuda, mas a gente aprendeu no processo que não dá pra ficar esperando juntar todo mundo pra começar a agir. A gente prefere fazer o que é possível do que não fazer nada” e assim oferecer um RETRATO de cães e gatos e seus donos, e não ficar parados não! Nos juntamos mais uma vez a turma dos Amigos Fotógrafos  Beto Riginik, Gal Oppido, Claudio Freitas, Rochelle Costi e Edu Leporo e fazer Retratos com e sem os Amigos de Estimação. Objetivo; com a fotografia arrecadar ajuda para viabilizar mais castrações de cães e gatos em situação de rua e dar uma visibilidade maior ao nosso projeto de resgate de animais em risco de vida em espaço publico e a adoção dos mesmos por famílias que os possam adotar de forma responsável. Esperamos mais uma vez contar com a solidariedade de todos os Amigos . 
Vamos divulgar cada ação com dia hora ,local e custo.
As ações fotográficas de estúdio com o GalOppido de  dez vagas e o Beto Riginik  para o mês de Julho são apenas  cinco vagas para os primeiros inscritos. Faça já sua inscrição, chame os amigos, divulgue compartilhe
Seu retrato vai salvar uma vida.
Contato  para fazer os retratos
via e-mail clube-mancha@bol.com.br
Digite uma mensagem…

No último dia 30 de Março o então

A comunidade ficou ansiosa pra ver a nova Lei, mas a verdade é que com ela ou sem ela, nada muda. Essa Lei é só um número no país da burocracia e da incompetência legislativa/executiva.

Dos sete artigos do PL o Michel (Fora) Temer vetou dois e excluiu um por alteração de outro. Ficaram as palavras bonitas, sobre o “que” e o “onde”, mas os pontos que falavam explicitamente sobre o “como” fazer foram sumariamente suprimidas do texto.

Ao final a Lei 13.426/17 diz que o controle de natalidade de animais será feito via cirurgia ou castração química (sem novidades), as castrações serão direcionadas para áreas prioritárias de controle populacional (sem novidade, outra vez), e que os programas de castração terão de ter um braço educativo (novamente, o óbvio).

O Presidente então vetou o Art. Nº4 tratando da solicitação de novos Centros de Controle de Zoonoses (CCZ) para os municípios que ainda não dispõe destes e que trata, também, da possibilidade de parcerias entre CCZs e organizações da sociedade civil. Ele retirou do texto a possibilidade de realizar os propósitos de que trata a Lei.

Por fim, foi vetado o único artigo que trata da alocação de recursos para os fins da própria lei. Isto é, não existe um como fazer, nem por onde, existe apenas o que fazer, caso o município se vire para tal. Isso se ele tiver um CCZ em condições de realizar a campanha.

Em síntese, foi sancionada uma lei que dá algumas diretrizes, todas já obrigatórias e implementadas pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária. Enquanto retira a possibilidade do estabelecimento de parcerias entre município e terceiro setor para o trabalho de controle populacional em território nacional.

Nunca vou entender o porque de este parágrafo ter sido suprimido.

Não existem pesquisas sérias e extensas, mas olha, não precisa ser muito viajado pra saber da demanda que o país tem em relação à enorme quantidade de animais domésticos que vivem em situação de abandono.

Fica aqui meu coro junto ao texto do Movimento Crueldade Nunca Mais: “Nas entrelinhas da Lei, Temer passa aos municípios um recado: Façam o que puderem fazer…”.

Mais uma vez a Proteção Animal nem sequer por um instante existiu na visão do alto poder executivo do país. Ficamos todos sem entender. Essa Lei não muda absolutamente nada, nem para um lado nem para outro

No ano de 2016  criamos um projeto de  Mutirão de Castração para  Animais em situação de rua e de pessoas que os acolhem mas não têm condições de os castrar , porque sabemos que é a única forma para  acabar com CRIAS INDESEJADAS, MAUS TRATOS e ABANDONO.

Mas de cada Mutirão dos AMIGOSDAMANCHA ficamos com um “CRÈDITO”, de gatinhas que por estarem muito debilitados e ou mesmo por não terem quem cuide deles, não temos como devolver ao local .

Hoje todas já recuperadas estão para ADOÇÃO POSSE RESPONSÁVEL, MAS SEJA UM DONO RESPONSÁVEL antes de levar um animal para casa , consulte sua família. TODOS precisam  estar de ACORDO.Só  serão doados para apartamento com rede de proteção. É feito  monitoramento e visita ao local da residencia antes e depois da ADOÇÃO. É necessário  cic, rg comprovante de endereço no nome do adotante.Laurinha 3 meses. “Paz” 4meses. Mildred 6meses  e Amarilis 4meses . Lindinha 5 meses.Filhinhos Jaceguai 50 dias  Bia & Nana nasceran em novembro2016.

Os Amigos da Mancha  são um projeto VOLUNTÁRIO QUE TEM RECURSOS APENAS de DOAÇÕES; quem tiver interesse em colaborar conosco, sendo Madrinha ou Padrinho colaborando com uma castração de  uma cachorra ou gatinha, para só assim castrarmos mais e mais cães e gatos em situação de rua no espaço urbano da cidade de São Paulo.

bradesco ag.2979 cc2678-6

nome M.C.G.M. de Almeida

cpf 075226648-96

Casa Herbivora – São Paulo, SP
25 de março de 2017, 14h-17h preço único  R$ 75,00
Inscrições até 25/03/2017

Descrição do evento

Sonha em ter uma hortinha em casa mas não sabe como começar?

Quer plantar ervas, aromáticas e hortaliças mas não tem quintal?
Não tem problema! Venha fazer um exercício de horta em qualquer lugar – laje, varanda, na frente de uma janela.
Venha conhecer a horta da Casa Herbívora, botar as mãos na terra, montar um vaso que você vai levar para casa – e comer bolo 🙂

São três horas de diversão em que vamos abordar os seguintes tópicos:
– Por que plantar na cidade

– Localização da horta em casa – varanda, na frente de uma janela, laje, quintal
– Containers – o que usar para plantar: vasos, caixotes etc
– Espécies adequadas ao espaço e luz solar da sua casa
– Princípios de uma horta agroecológica urbana
– Como montar o vaso ou canteiros
– Cuidados: irrigação, adubação, colheita
– Alguns problemas que você pode ter e como resolvê-los
– Colher, comer… e continuar!
%d blogueiros gostam disto: