Feeds:
Posts
Comentários

por Alenahra

…e arrancou meu coração, mas antes de arrancar ficou ali uns dias torcendo e apertando.

Se tem uma coisa que essa parte da viagem me mostrou é o quão mimada eu sou. Filhinha de papai. Guriazinha de condomínio. Que desceu pro play toda desavisada, ah que lindo é o mundo, vou ali ver umas agriculturas nos irmãos centroamericanos. Tava me achando o máximo andando de pé em caçamba de pick up por 3 quetzales, só os locais e eu a única estrangeira. Ajudando a fazer horta na periferia de uma cidade minúscula com mulheres que não sabem nem ler. Menstruada usando copinho num lugar em que o banheiro é seco. Oh yeah, veja que durona que eu sou, como eu viajo no modo roots.

Turista no terceiro mundo. Pode escolher desembarcar e voltar pro restaurante que tem tofu. Nunca passou perrengue na vida. Merece esses tapa na cara. E tá pouco ainda.

Estou aprendendo muitas coisas de que talvez eu já tivesse alguma pista caso tivesse feito uma faculdade menos alienante que jornalismo na PUC, ou pelo menos tivesse lido As veias abertas da América Latina ANTES.

Agora, por que ninguém me avisou que tinha tanto bicho morto de fome na Guatemala?

Os cachorros mais magros que já vi vivos. É cultural, dizem. A cultura é diferente, aqui as pessoas não ligam. Os bichos estão ali morrendo de fome e é só mais um fato da vida, ninguém faz nada.

A gente (o povo da proteção animal, os que tratam bicho como família, etc) é muuuuuuuito mimado no Brasil. Eu sou. Eu que acho que tudo que é cachorro e gato tem que ser tratado, castrado, alimentado, acolhido; eu tenho standards muito altos pra animais domésticos.

Me disse o russo com quem trabalhei por alguns dias na fazenda de orgânicos: os cachorros sempre conviveram com o homem se alimentando dos restos. Pra mim, os bichos daquela vila estavam morrendo de inanição. Ele não achava que estavam assim tão mal. Estávamos discutindo qual seria a solução mais humanitária. Chegamos a uma conclusão: se não dá pra recolher, castrar, encontrar adoção, o melhor seria a eutanásia.

Eu não acho que a vida é um valor absoluto. Como alguns sabem, adoro a vida, daora a vida, dou graças todos os dias. Mas para uma vida miserável de inanição, doença, atropelamento, descaso, violência, considero que a morte rápida e indolor pode ser uma saída aceitável.

Eu fiquei de fato muuuuuuuuito desesperada com os cachorros daqui. A ponto de chorar na rua vendo passar uma fêmea esquálida com as tetas cheias, indo procurar comida nos restos da feira. E me imaginei dando uma injeção letal pra pelo menos um cachorro que passou por mim. Será que se vende isso na loja de ração?

Eu quis ir embora correndo. Não quero mais ver isso.

E aí:

  1. Tudo que aparece é o que eu tenho que lidar com. Obviamente eu tenho que ver, sentir, e lidar com ISSO: abandono, sofrimento, desacolhimento, fome, desamparo.
  2. Repare que abandono, sofrimento, desacolhimento, fome, desamparo quem tá vendo sou EU. A situação é neutra. Existem uns cachorros. O russo não acha que estejam tão mal. Eu acho tudo isso aí de cima. EU que tô dizendo isso. EU que tô vendo isso. Isso só existe objetivamente dentro de MIM.
  3. Serviço é o que se apresenta. Mas é muita presunção achar que eu vou conseguir resolver tudo, agir sempre, atuar em todas as oportunidades — “oportunidade”: quem disse que isso é uma? Às vezes só vou poder olhar, sofrer, chorar, sentir.
  4. Isso: às vezes o que se apresenta não é pra que eu aja sobre. Às vezes o que se apresenta é pra eu ir pra dentro e só. Não é pra agir, pra fazer. É pra não-fazer. Nem sempre eu tenho que recolher o lixo do chão, limpar o banheiro, retirar do mar a sacola de plástico. Às vezes o agir me desvia, me impede de sentir e integrar. É uma distração. É um drama. É um sedativo. Tem gente que bebe, usa outras drogas, come demais, compra. Eu tento consertar as coisas (e como, e bebo, E consumo). É uma forma também de controlar, de tentar controlar. Saio fazendo coisas com o objetivo de consertar algo, ajudar alguém, melhorar o mundo. Talvez tenha sido pra entender exatamente isso que eu vi o que eu vi na Guatemala.

Me apaixonei por duas cachorrinhas filhotes no instituto de permacultura. A permacultura e os animais domésticos têm uma relação meio mal resolvida — pelo que vi até agora de permacultura não-urbana. A permacultura trata os animais como um recurso e tudo no sistema têm uma função. Bem, cachorro e gato não têm muita função a não ser comer e cagar. Cachorro e gato não dão leite, não põem ovos, não ciscam, não são socialmente aceitos como comida aqui no ocidente. Pra permacultura não-urbana (que vi até agora) cachorro e gato são problema: espantam e comem os animais silvestres, os ovos de pássaros, mexem na compostagem e na horta. No entanto cachorros e gatos existem, e muitas vezes já estão dentro do biossistema — então não adianta fazer de conta que não estão, ou querer que não estejam. São coisas vivas: é preciso leva-los em consideração no desenho do biossistema (sistema de coisas vivas). Ou então agir como na minha fantasia da eutanasia. O que não dá é pra deixar os bichos ali morrendo de fome. Ficar olhando um ser faminto sem alimentar.

Me apaixonei pelas duas filhotinhas e caí na asneira de perguntar de quem eram, quem alimentava. Me disseram que começaram a alimentar a mãe quando estava grávida e então ficou, mas que não querem cachorros no instituto. E que então não é pra alimentar mais.

Na outra fazenda de orgânicos onde eu estava tinha uma cachorra de rua que entrava, subia na mesa e roubava comida dos hóspedes. Fui “pega” alimentando uma vez e levei um xingão. Não sei vocês, mas eu não consigo ficar indiferente vendo um ser com fome. Me pedem comida e eu dou, ponto (a não ser quando é um humano onívoro querendo comer minha última coxinha vegana sendo que ele tem todas as comidas dele ali).

 Me apaixonei pelas duas filhotinhas e comecei a pensar em mudar a viagem, comprar passagem pra elas irem pro Brasil, a armar um jeito de alguém daqui levá-las pra casa dei um monte de comida — banana, abacate, arroz com legumes, mandioca. Comprei remédio pra verme, pulga, carrapato. Comprei spray pra cicatrizar uma ferida que a mãe tem. Falei com deus e o mundo. Descobri mutirão de castração. Imaginei um futuro tenebroso pra elas — como a fêmea raquítica que vi na rua com as tetas cheias procurando comida nos restos da feira. Se ao menos elas fossem machos… Me senti presa num lugar sem saída. Chegou a faltar o ar. Era terça, eu tinha que ficar até sexta. Na quarta me refugiei na vila, no restaurante com internet, não queria ver as cachorrinhas (na primeira noite elas dormiram na minha cama). Na quinta foi pior. O desespero bateu e apareceu até um vilão — uma criatura horrenda que maltrata as cachorras pra que elas vão embora.

Na sexta bem cedo dei pra elas o resto de ração que eu tinha comprado, a cachorrinha que mais se apegou a mim me seguiu, tive que espantar, ela lá com aquela carinha, parecia que sabia que eu tava indo.

E fui embora com um rasgo no meio do peito.

Eu não costumo “pedir” coisas nos meus rezos, porque 1) acho que tenho só que agradecer e 2) não acredito que o universo atende pedidos, faz favores, beneficia esse ou aquele. Mas na última noite lá (que eu passei praticamente acordada pensando no que eu ia fazer) eu pensei “bem que podia aparecer uma ajuda”, e daí me veio a frase “ask and you shall receive” e me dei conta que como é que eu quero ajuda se eu não peço. Daí no rezo da manhã eu pedi ajuda pra me ajudar a ajudar as cachorras. Tava numa choradeira só, os cachorros só abriram a porteira; o reconhecimento do meu privilégio de elite branca — e a vergonha que comecei a sentir — tava fazendo o resto. Pra ir embora do lugar peguei uma pick up, a gente vai de pé atrás, tava lotada, umas senhorinhas levando hortaliças pra vender na feira da cidadezinha. Depois peguei uma lancha pra atravessar o lago e voltar pra cidade onde eu ia pegar a van pra voltar pra capital, e na lancha pensei “cara, tô precisando falar com alguém, bem que eu podia fazer um amigo, qualquer um, podia até ser gringo”.

Bem, eu chego em Panajachel e vou direto pro meu porto seguro, o restaurante maravilhoso que tem um quintal e tofu (porque eu posso, né? Cansou de brincar de terceiro mundo, dá pra mandar parar e desembarcar). E tem um homem mais velho sentado sozinho numa mesa e a gente começa a conversar e bingo, eis o amigo. Ele é inglês e mora há anos adivinha onde? Do outro lado do lago, na cidade onde eu peguei a lancha, ou seja, do lado do instituto onde eu tava. Lá pelas tantas da conversa — minina, como eu precisava conversar — eu falo pra ele “olha, não é por acaso que eu mal desembarquei da lancha e conheci uma pessoa que mora em Santiago, deixa eu te contar uma história e tu vê se tu pode me ajudar”. Contei toda a história das cachorras e: ele conhece o pessoal que faz mutirão de castração lá na região. E ele LIGA pra pessoa na hora e: tem mutirão de castração na semana que vem, e é DE GRAÇA.

E eu praticamente me joguei no chão em louvor a esse universo que atende sim e ajuda quem pede ❤. ASK. And you shall receive.

___

Agora: agora tenho que deixar de tomar Toddynho. E parar de chorar lendo As veias abertas da América Latina. Que bom que eu vim aqui e vi isso. O quão a América é fodida desde os espanhóis, o quanto não se recuperou nunca — basicamente porque o sistema que rege o mundo ainda é o mesmo desde os tempos da colônia. Eu tô tendo um crash course em América Latina. Me joguei no fundo do vulcão em erupção. Nem todos os livros que eu poderia ter lido me ensinariam o que estou vivendo aqui. Esse negocio tá entrando pela minha pele. Minhas células estão fazendo osmose com a América Latina. Os cachorros são só um aspecto. Cachorros pra mim são importantes. Todos os seres importam. O ensinamento dos cachorros vem junto, abre alas, talvez, para os outros. Um dia eu disse que minha primeira gata abriu a minha compaixão para todos os outros seres — inclusive humanos. Bem, meu sofrimento pelos cães da Guatemala abriu a porteira para a dor pela América Latina inteira.

Precisei vir aqui nesse longe pra ver o que poderia ter visto no Brasil — não tivesse sido eu a guriazinha de condomínio, vida fácil, protegida, que sempre fui. Bom, antes tarde do que nunca. Preferia ter feito essa viagem bem antes, ainda jovenzinha, talvez eu tivesse tomado tenência antes (talvez não, eu só queria surfar e fumar maconha). Mas não foi o que aconteceu, vim só agora, e agora está sendo como uma pós graduação. Na vida. Nunca é tarde.


Se este texto te disse alguma coisa boa, clica no ♡. Ajuda a chegar a outras pessoas.


Acompanhe o diário da viagem pra dentro.
A versão interna da viagem que estou fazendo pelas Américas em busca de projetos de agricultura urbana, agroecologia e permacultura, cujas matérias estão sendo publicadas na herbivora.com.br e as fotos no Instagram @alenahra

Hoje estamos aqui para lançamento da camiseta , produzida com a ajuda dos Amigos  Marcelo Pinheiro e Erico Padrão do  Carimbo Letterpress.

Todas as camisetas do Clube da Mancha são desenhadas como forma de divulgar o projeto dos Amigos da Mancha, com 100 % da renda destinada a ajudar  o trabalho  que fazemos  com os Amigos de Estimação que vivem em Situação de rua.

Camisetas na  cor branca e preta  em silk Screen , por 60,00 com entrega tb por sedex  ( 60,00 + valor do sedex ) 100% da Renda revertida  para ajudar os Animais  em Situação de Rua

 

 

 

Os Amigos Marcelo Pinheiro e Érico Padrão do  Carimbo Letterpress, Estúdio de Impressão Tipográfico em São Paulo  á rua Campevas 146, criaram um projeto exclusivo para ajudar o projeto social dos @amigosdamancha de Mutirão de Castração de animais em situação de rua e abandonados em espaço urbano da cidade de São Paulo.   “Caderninhos de desenho ou anotação” impressos em letterpress/tipografia, com clichês e tipos móveis antigos.
100% feito à mão.
Três passagens em máquina – duas para as letras e mais uma para o clichê.
4 cores de capa e miolo em papel off-white [64 páginas sem pauta].
O texto de fundo é composto pelas palavras cachorro [perro, dog, hund, inu e chien] e gato [gatto, katze, chat, neko e cat], em Espanhol, Inglês, Alemão, Japonês, Francês e Italiano.
O objetivo é arrecadar ajuda para viabilizar mais castrações de cães e gatos em situação de rua e dar uma visibilidade maior ao nosso projeto .
Porque somos um projeto VOLUNTÁRIO QUE TEM RECURSOS APENAS de DOAÇÕES, você nos ajuda a castrar mais e mais animais em situação de rua
Cada caderninho mede 16 x 11.5 cm e custa 25 reais un.

saiba mais www.clubedamancha.wordpress.com

 

Hoje estamos aqui para lançamento da camiseta do Scotch, produzida com a ajuda da  Artista Vegana  @silvana_mello  .

Todas as camisetas do Clube da Mancha são desenhadas com os animais resgatados da rua , como forma de divulgar suas vidas, com 100 % da renda destinada a ajudar  o trabalho  que fazemos  com os Amigos de Estimação que vivem em Situação de rua ;fazemos o acompanhamento  dos cães com vacinação  vermifugação ,castração , banhos mensais e tratamento antípulgas  e atendimento veterinário sempre que necessário .Na cor branca  em silk Screen , por 60,00

com entrega tb por sedex  ( 60,00 + valor do sedex )
100% da Renda revertida  para ajudar os Animais  em Situação de Rua

Também aceitamos  pedidos de encomendas  em outras cores  no minimo de dez.

saiba mais www.clubedamancha.wordpress.com

Resgatamos o Scotch  de 11 anos em janeiro de 2016, 15731647_1193160660790960_399022210_n sofreu  maus tratos a vida toda, seu dono morreu e ía ser abandonado na Favela do Moinho. E tentamos lhe dar  uma vida mais natural possivel.

Como é um AmigoEspecial de difícil Adoção, arrumamos umas madrinhas MUITO Especiais  a Camila e sua  Mãe a  Hanny ,15749783_1193131694127190_254369513_n-1 15750039_1192866370820389_1765364298_n que apesar de já terem seus animais de estimação , dois adotados  do Clube da Mancha, o gato Pompeu e o cão Joaquim ,colaboram mensalmente  para custear os gastos com o Scotch,Você também pode ser madrinha de um animal resgatado até sua adoção. contato clube-mancha@bol.com.br

Fizemos uma pequena ação na pç Princesa Isabel , dia 11 junho  e conhecemos os Freis Angélico  e o Frei Damião, que nos ajudaram no trato com os animais e também nos contaram que tinham uma gatinha precisando de ajuda. A gatinha agora  está internada na Clinica da Dra Luciana Guimarães  e após se recuperar será castrada e junto com os filhotes vão ser encaminhados para adoção posse responsável.   E conhecemos o trabalho que  os freis fazem tambem na Cracolandia.

 

 

Vivem em pequenas comunidades chamadas,fraternidade. Adotam o estilo de uma vida simples, marcado pela pobreza e buscam aproximarem-se ao máximo do estilo de vida dos pobres, a quem servem.

Como crêem em uma vida consagrada, o carisma adotado pela Fraternidade pede que suas casas seja a casa dos pobres. Ao lado deles, compartilham a vida comunitária; as tarefas diárias, a oração, a mesa da comida e da Eucaristia.

O comunidade chama-se Fraternidade Missionária O Caminho, mas é mais conhecida como Fraternidade O Caminho.
A Fraternidade teve início em uma casa alugada na Vila Natal, bairro periférico da zona Sul de São Paulo. Esse local serviria para ser uma casa de acolhida para jovens que, por causa do terrível flagelo das drogas haviam perdido tudo.

A primeira preocupação dos fundadores da Fraternidade O Caminho era ter um lugar onde os pobres pudessem ser acolhidos com verdadeira e piedosa dignidade, pois é em torno deles que a comunidade se constrói.

“Começamos a primeira casa a cerca de 15 anos donde se espalhou para outros lugares do Brasil e até fora, em outros países, sempre mantendo o mesmo chamado inicial: cuidar dos mais pobres.”

Em São Paulo, eles trabalham principalmente com pessoas em situação de rua, tem como objetivo a acolhida para o tratamento de recuperação da dependência química.

A casa do centro da capital paulista, fica na bairro da luz, de onde fazem a missão de rua e também acolhem para a recuperação de dependência química. Esta casa serve como triagem e tem capacidade para 18 pessoas. Após esse primeiro processo que dura de 15 dias a um mês, os Filhos Prediletos como chamam, são enviados para as chácaras em torno da grande São Paulo. A capacidade nas chácaras é de 40 internos.

Os freis ainda fazem pastoral de rua que é uma missão semanal, onde entre outras coisas levam o alimento para o corpo (lanche) e o alimento para alma (Palavra de Deus). Nas quartas-feiras eles revezam entre parca da Sé e Praça Princesa Isabel- Cracolândia das 08hs00 as 12hs00, onde cortam cabelos, barbas e fazem curativos, nas sextas-feiras levam lanches e a Palavra de Deus, das 20hs00 as 23hs00.

Com todo esse vasto trabalho o que impressiona é a confiança que esses frades tem na providencia divina, que a única fonte de renda. Eles acreditam que cada pessoa ao se próximar para contribuir é providencia de Deus.

Aqueles que sentirem vontade de ajudar de alguma forma, tanto com a presença como com doações de cobertores, roupas, material de higiene pessoal, alimentos e etc podem entrar em contato e falar diretamente com eles.

Segue o contato:

Fratérnitas Virgem dos Pobres

Rua Djalma Dutra, 69 – Bom Retiro
CEP: 01103-010 – São Paulo, SP
Tel.: (11)2386-2131- residência.
E-mail: maedospobres@ocaminho.org.br

Missão: Casa de apoio para as pastorais de rua, sobretudo no atendimento à Cracolândia.

 

Alexandre Staut ,publicado em Vida Breve

Os gatos e o fulgor da monotonia

Esta semana chegou novo morador em casa, um gato branco de orelhas, rabo e focinho amarelos, que primeiramente foi chamado de Bianco, depois de Tutu, Carinhoso, até receber o seu nome definitivo, Pedrinho. Tem dois meses, veio da favela do Moinho, em São Paulo, e me foi oferecido por  Amigosdamancha, que faz trabalho lindo , castrando animais abandonados e os ajudando a encontrar um lar.

Dar nome a um bicho requer tempo e persistência. Alguns parecem sugerir como querem ser chamados. Assim que olhei para Ferrugem, gata ruiva de olhos que combinavam com a pelugem, seu nome parece ter sido soprado nos meus ouvidos. Ferrugem foi embora cedo para o céu dos gatinhos.

Enquanto corria para lá e para cá, de veterinário em veterinário, tentando salvar essa gata, conheci o Clube da Mancha. Ferrugem partiu e sugeriram que eu adotasse uma gata de mais de um ano e com cara de bicho polar selvagem. Logo que apareceu na minha frente, olhou para mim, miou e se enroscou nas minhas pernas. Uma gata comunicativa. Quase uma boneca de pelos. O nome estava escolhido, Emília.

Mais uns meses, passeava pelo centro de São Paulo, até ver duas gatinhas recém-nascidas numa gaiola, nas dependências da ONG Natureza em Forma, que também faz belo trabalho e cuida gatos, cachorros e de pombas machucadas, além de resgatar galos de rinha. Pedi para pegar um dos felinos. Percebi que carregada uma rajada e esbelta. Vou levar para casa, disse à funcionária do lugar. Essa recebeu o nome de Brigite, mas, conforme crescia, passei a chamá-la de Rajadinha, Tigrinha, e depois, Brioche. Agora, responde por Bri. Sendo que o seu nome completo é Brigitte Brioche.

Emília, a primogênita, havia sido jogada numa lata de lixo, em Perdizes, pouco antes da adoção. Isso explica o seu comportamento temperamental. Da doçura extrema, pode virar um bicho selvagem em poucos segundos. Basta um simples carinho na barriga gorda e ela mostra os dentes afiados… e morde.

Quando Bri chegou em casa, apanhou um dia inteiro da Emília. Mas no terceiro dia, a primogênita a adotava e a lambia, numa espécie de cerimônia de concentração e silêncio. Com Pedrinho aconteceu o mesmo. Durante um dia inteiro foi espancado por Emília, que faz questão de mostrar que manda na casa. No terceiro dia, porém, ela amanheceu aos carinhos com o novo morador.

Bri, que é submissa à Emília, pareceu esperar a reação da mestra, à espreita, meio de longe, sem dar um miado. Assim que a dona da casa se aproximou do novo morador, Bri também foi lambê-lo.

Hoje, ao sair de casa, os três encontravam-se aninhados, numa harmonia que dificilmente existe entre nós, humanos. Então me lembrei da frase que um ex-marido da Inês Amorozo falava sobre gatos, e que atribuía a Guimarães Rosa: “Eles descobriram o fulgor da monotonia!”. E também de uma frase que, certa vez, ouvi Nilma Lacerda dizer, atribuindo-a a Hélio Pellegrino: “Os bichos estão tão integrados ao Universo, que ignoram a falta que preside os humanos. Por isso, não necessitam da linguagem e a gente sim.” Bonito, não é?

Em matéria publicada na revista do jornal Folha de SP na seção bichos, Silvia Corrêa nos conta o que já sabíamos, de forma comprovada , que somos um país de casas multicats onde os desafios se multiplicam. E o professor Archivaldo Reche uma das maiores autoridades em felinos perguntou  a 585 clientes quantos gatos tinham em casa,delas 85% tinham dois ou mais gatos e 50% tinham cinco ou mais gatos.Na natureza eles se organizam em matriarcados, há tolerância com os filhotes mas novos indivíduos adultos dificilmente  são aceites. Mas  nas nossas casas a situação é exatamente oposta.Sem acesso á rua, com pouco espaço, e pouca diversão eles são misturados sem laços de parentesco e sem ambientação.E brigas entre os gatos são muito comuns.Por isso sempre recomendamos adotar famílias, mãe e filhos ou dois irmãos para que não fiquem sozinhos.E da pouca experiência de já 20 anos sabemos que quem não faz o que sugerimos muitas vezes quer desistir da adoção ou mais tarde adota outros e tem dificuldades na adaptação . Adote em pares de preferência da mesma família.Adote a Mãezinha e seus filhinhos Jerry & Adriani castrados e vacinados .Adoção posse Responsável.

Ação conjunta @amigosdamancha e @moradoresderuaeseuscaes .Ação Fotográfica de Ocupação da Cidade no Parque MINHOCÃO. Dia 23 Abril  com EduLeporo fotógrafo de pets e do projeto @moradoresderuaeseuscaes. E assim a Arte vira Projeto Social.

Local Poste 31 Dia 23 Abril a partir 15h Retrato solidário 30 reais Uma ampliação 20×30 Apoio: revelaphoto.com.br

 

Você gostaría de fazer um retrato de Estúdio com um fotografo   , e não teve oportunidade ainda ? Então esta  é hora, convidamos os Amigos Fotógrafos  que vão oferecer um dia de seu trabalho de estúdio para fazer retratos.  
O Edu Leporo vai montar seu estúdio no Minhocão dia 23 de Abril  com 100% da renda revertida para  ajudar os Amigos da Mancha.
Somos um projeto VOLUNTÁRIO QUE TEM RECURSOS APENAS de DOAÇÕES, você nos ajuda a castrar mais e mais animais em situação de rua, porque só Juntos podemos ser a MUDANÇA que queremos ver no mundo. Enquanto  aguardamos uma atenção do poder público pensamos em fazer Ações fotográficas  . Porque uma vez mais, vimos que é isso  Decidimos fazer por nós mesmos. Porque a lição que fica  é; Sempre é preciso de mais ajuda, mas a gente aprendeu no processo que não dá pra ficar esperando juntar todo mundo pra começar a agir. A gente prefere fazer o que é possível do que não fazer nada” e assim oferecer um RETRATO de cães e gatos e seus donos ou só da sua família, ou  de você  enfim um retrato e não ficar parados não!Objetivo; com a fotografia arrecadar ajuda para viabilizar mais castrações de cães e gatos em situação de rua e dar uma visibilidade maior ao nosso projeto de resgate de animais em risco de vida em espaço publico e a adoção dos mesmos por famílias que os possam adotar de forma responsável. Esperamos mais uma vez contar com a solidariedade de todos os Amigos. Estas fotos foram realizadas agora dia 15 de  Abril quando estivemos no parque Minhocão , escolhendo locações para a ação fotográfica do dia 23 de Abril , com os cães Ovelhinha , Quindim e Branquinha que estão no hotelzinho aguardando Adoção posse Responsável 
 Você gostaría de fazer um retrato de Estúdio com um fotografo   , e não teve oportunidade ainda ? Então esta  é hora, convidamos os Amigos Fotógrafos  Beto Riginik e Gal Oppido que vão oferecer um dia de seu trabalho de estúdio para fazer retratos ,o Claudio Freitas
, a Rochelle Costi   vai fazer uma Ocupação  de retratos de Cães  na Av. Paulista e Edu Leporo vai montar seu estúdio no Minhocão
com 100% da renda revertida para  ajudar os Amigos da Mancha.
Somos um projeto VOLUNTÁRIO QUE TEM RECURSOS APENAS de DOAÇÕES, você nos ajuda a castrar mais e mais animais em situação de rua, porque só Juntos podemos ser a MUDANÇA que queremos ver no mundo. Enquanto  aguardamos uma atenção do poder público pensamos em fazer Ações fotográficas  . Porque uma vez mais, vimos que é isso ,” Cuida. Quem ama, sabe faz a hora, não espera acontecer. ” FAZ FAZENDO com amor  aos animais, ás pessoas e á cultura da cidade de São Paulo. Decidimos fazer por nós mesmos. Porque a lição que fica  é; Sempre é preciso de mais ajuda, mas a gente aprendeu no processo que não dá pra ficar esperando juntar todo mundo pra começar a agir. A gente prefere fazer o que é possível do que não fazer nada” e assim oferecer um RETRATO de cães e gatos e seus donos, e não ficar parados não! Nos juntamos mais uma vez a turma dos Amigos Fotógrafos  Beto Riginik, Gal Oppido, Claudio Freitas, Rochelle Costi e Edu Leporo e fazer Retratos com e sem os Amigos de Estimação. Objetivo; com a fotografia arrecadar ajuda para viabilizar mais castrações de cães e gatos em situação de rua e dar uma visibilidade maior ao nosso projeto de resgate de animais em risco de vida em espaço publico e a adoção dos mesmos por famílias que os possam adotar de forma responsável. Esperamos mais uma vez contar com a solidariedade de todos os Amigos . 
Vamos divulgar cada ação com dia hora ,local e custo.
As ações fotográficas de estúdio com o GalOppido de  dez vagas e o Beto Riginik  para o mês de Julho são apenas  cinco vagas para os primeiros inscritos. Faça já sua inscrição, chame os amigos, divulgue compartilhe
Seu retrato vai salvar uma vida.
Contato  para fazer os retratos
via e-mail clube-mancha@bol.com.br
Digite uma mensagem…

No último dia 30 de Março o então

A comunidade ficou ansiosa pra ver a nova Lei, mas a verdade é que com ela ou sem ela, nada muda. Essa Lei é só um número no país da burocracia e da incompetência legislativa/executiva.

Dos sete artigos do PL o Michel (Fora) Temer vetou dois e excluiu um por alteração de outro. Ficaram as palavras bonitas, sobre o “que” e o “onde”, mas os pontos que falavam explicitamente sobre o “como” fazer foram sumariamente suprimidas do texto.

Ao final a Lei 13.426/17 diz que o controle de natalidade de animais será feito via cirurgia ou castração química (sem novidades), as castrações serão direcionadas para áreas prioritárias de controle populacional (sem novidade, outra vez), e que os programas de castração terão de ter um braço educativo (novamente, o óbvio).

O Presidente então vetou o Art. Nº4 tratando da solicitação de novos Centros de Controle de Zoonoses (CCZ) para os municípios que ainda não dispõe destes e que trata, também, da possibilidade de parcerias entre CCZs e organizações da sociedade civil. Ele retirou do texto a possibilidade de realizar os propósitos de que trata a Lei.

Por fim, foi vetado o único artigo que trata da alocação de recursos para os fins da própria lei. Isto é, não existe um como fazer, nem por onde, existe apenas o que fazer, caso o município se vire para tal. Isso se ele tiver um CCZ em condições de realizar a campanha.

Em síntese, foi sancionada uma lei que dá algumas diretrizes, todas já obrigatórias e implementadas pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária. Enquanto retira a possibilidade do estabelecimento de parcerias entre município e terceiro setor para o trabalho de controle populacional em território nacional.

Nunca vou entender o porque de este parágrafo ter sido suprimido.

Não existem pesquisas sérias e extensas, mas olha, não precisa ser muito viajado pra saber da demanda que o país tem em relação à enorme quantidade de animais domésticos que vivem em situação de abandono.

Fica aqui meu coro junto ao texto do Movimento Crueldade Nunca Mais: “Nas entrelinhas da Lei, Temer passa aos municípios um recado: Façam o que puderem fazer…”.

Mais uma vez a Proteção Animal nem sequer por um instante existiu na visão do alto poder executivo do país. Ficamos todos sem entender. Essa Lei não muda absolutamente nada, nem para um lado nem para outro

No ano de 2016  criamos um projeto de  Mutirão de Castração para  Animais em situação de rua e de pessoas que os acolhem mas não têm condições de os castrar , porque sabemos que é a única forma para  acabar com CRIAS INDESEJADAS, MAUS TRATOS e ABANDONO.

Mas de cada Mutirão dos AMIGOSDAMANCHA ficamos com um “CRÈDITO”, de gatinhas que por estarem muito debilitados e ou mesmo por não terem quem cuide deles, não temos como devolver ao local .

Hoje todas já recuperadas estão para ADOÇÃO POSSE RESPONSÁVEL, MAS SEJA UM DONO RESPONSÁVEL antes de levar um animal para casa , consulte sua família. TODOS precisam  estar de ACORDO.Só  serão doados para apartamento com rede de proteção. É feito  monitoramento e visita ao local da residencia antes e depois da ADOÇÃO. É necessário  cic, rg comprovante de endereço no nome do adotante.Laurinha 3 meses. “Paz” 4meses. Mildred 6meses  e Amarilis 4meses . Lindinha 5 meses.Filhinhos Jaceguai 50 dias  Bia & Nana nasceran em novembro2016.

Os Amigos da Mancha  são um projeto VOLUNTÁRIO QUE TEM RECURSOS APENAS de DOAÇÕES; quem tiver interesse em colaborar conosco, sendo Madrinha ou Padrinho colaborando com uma castração de  uma cachorra ou gatinha, para só assim castrarmos mais e mais cães e gatos em situação de rua no espaço urbano da cidade de São Paulo.

bradesco ag.2979 cc2678-6

nome M.C.G.M. de Almeida

cpf 075226648-96

Casa Herbivora – São Paulo, SP
25 de março de 2017, 14h-17h preço único  R$ 75,00
Inscrições até 25/03/2017

Descrição do evento

Sonha em ter uma hortinha em casa mas não sabe como começar?

Quer plantar ervas, aromáticas e hortaliças mas não tem quintal?
Não tem problema! Venha fazer um exercício de horta em qualquer lugar – laje, varanda, na frente de uma janela.
Venha conhecer a horta da Casa Herbívora, botar as mãos na terra, montar um vaso que você vai levar para casa – e comer bolo 🙂

São três horas de diversão em que vamos abordar os seguintes tópicos:
– Por que plantar na cidade

– Localização da horta em casa – varanda, na frente de uma janela, laje, quintal
– Containers – o que usar para plantar: vasos, caixotes etc
– Espécies adequadas ao espaço e luz solar da sua casa
– Princípios de uma horta agroecológica urbana
– Como montar o vaso ou canteiros
– Cuidados: irrigação, adubação, colheita
– Alguns problemas que você pode ter e como resolvê-los
– Colher, comer… e continuar!
Convidamos a AMIGA Ale Nahra para uma pequena ação dos  AMIGOS da MANCHA na favela do Moinho  e copiamos  a matéria  do  http://herbivora.com.br/amigos-da-mancha-ajudando-animais-e-pessoas/
BICHOS, PESSOAS

Amigos da Mancha ajudando animais e pessoas

castração

A moça acomoda uma sacola em cada braço, põe o capacete, sobe na Vespa, e toca pra Barra Funda. Estaciona na entrada da favela do Moinho, tira das sacolas o saco de ração, começa a alimentar os gatos – e daqui a pouco vão chegando os moradores, que já sabem que ali tem comida e tratamento para os bichos e ajuda e atenção para as gentes.

Isso acontece pelo menos a cada 15 dias. A moça é a Cristina, que há quase uma década começou o trabalho chamado de Clube da Mancha. Mancha era o nome da primeira cachorrinha ajudada pela arquiteta e fotojornalista – que virou mascote e deu o nome ao clube. E os amigos da Mancha somos nós, eu e você, qualquer pessoa que queira ajudar. “Não fazemos nada sozinhos. Contamos com os amigos e amigas para continuar o trabalho”, diz a Cris.

Na favela – ou em prédios ocupados, ou para moradores de rua que têm cachorros – Cristina distribui ração, coleiras anti-pulga, vermífugo. Quando vai junto uma veterinária, cães e gatos são vacinados. As visitas têm como finalidade sensibilizar para a importância da castração, inscrever os animais no próximo mutirão, prepará-los (precisam estar saudáveis, com peso adequado, sem vermes e sem pulgas), e fazer o acompanhamento.

Todo este nosso projeto tem como objetivo localizar e castrar os animais em situação de rua para o fim de crias indesejadas, porque não existem famílias para 75% dos animais ja resgatados por grupos de proteção. A castração é o que garante o fim do ciclo de abandono e maus tratos.

Os mutirões de castração do Clube da Mancha para animais em situação de rua acontecem todos os meses. Uma média de 40 animais são castrados em cada edição do mutirão. Cristina e alguma das amiga da Mancha (as voluntárias não-oficiais, já que a Mancha não é uma ONG) recolhem os animais de manhã cedo, levam para a clínica, e devolvem no final do dia, depois de passada a anestesia – e fazem o acompanhamento com os tutores nos dois dias seguintes, via celular e WhatsApp ou pessoalmente se necessário. As castrações têm custo zero para os tutores dos animais. Os procedimentos são bancados pelos amigos da Mancha. Tudo que a Mancha faz é com ajuda dos colaboradores: a carona para ir à favela levar ração (tente levar um saco de 15kg de ração na Vespa), o transporte para buscar os animais para castrar e devolvê-los, o custo de eventuais procedimentos cirúrgicos (neste mês, por exemplo, foram realizadas duas cirurgias, em uma gatinha com a bacia quebrada e uma cachorrinha com o fêmur quebrado). As coleiras  anticarrapaticidas são doadas pelo projeto Moradores de Rua e Seus Cães;  vacinas são doadas por amigas veterinárias. A vermifugação pré castração, medicação pós castração em caso de piometra (infecção de útero), ou para tratamentos eventuais como sarna, hemograma, raio x e exames complementares a pedido dos veterinários são custeados pelo Clube da Mancha.

A Cris realiza um trabalho grandioso. Incansável, ela envolve e sensibiliza as pessoas para conseguir a colaboração imprescindível para a continuação do projeto dos mutirões de castração. Não seria possível fazer tudo isso sozinha. Para que o trabalho aconteça de forma consistente é preciso uma rede de pessoas interessadas e de boa vontade. E a Cristina tem o carisma necessário para atrair essa rede. Tem amiga que dá carona, amiga que acolhe temporariamente até que sejam adotados, amiga que colabora financeiramente, amiga que faz campanha para arrecadar ração – e assim vai. E a Cris não tem frescura quando se trata de pedir ajuda. Está sempre conversando com alguém, atenta a como cada pessoa pode colaborar, e gentilmente sugerindo que colaborem.

Precisamos da ajuda de todos, da forma que cada um der conta, mesmo que pequena. Ajude a conseguir adoção ou apadrinhamento para um cão e ou gato, entre seus amigos. Promova um evento – bazar, brechó, almoço – para arrecadar contribuições para os mutirões. Doe espaço na sua mídia, compartilhe nas redes sociais nossos posts de divulgação de adoção e apadrinhamento.

Amigos da Mancha é um projeto voluntário que tem recursos apenas de doações. Quer ajudar?

  • Você pode ser madrinha ou padrinho, patrocinando a castração de uma cachorra ou gatinha. Ou colaborar financeiramente com qualquer quantia. Dados para depósito: Bradesco ag 2979 cc 2678-6, em nome de M.C.G.M. de Almeida, CPF 075.226.648-96
  • Você pode oferecer lar temporário para animais que estão para adoção.
  • Você pode doar ração, ou fazer uma campanha de doação de ração entre seus amigos, família, vizinhos, colegas de trabalho.
  • Você pode oferecer carona para levar ração ou buscar e devolver os animais para os mutirões de castração.
  • Você pode acompanhar a Cristina nas visitas aos cães e seus tutores, e ajudar a cadastrar os animais para as castrações, colocar as coleiras, dar medicação, ração, carinho.
  • Você pode divulgar o trabalho da Mancha. Seguir a página no Facebook e no Instagram, compartilhar os posts, comentar e dar muitos likes, para que os posts tenham maior alcance. Quanto mais gente ficar sabendo das ações da Mancha, mais ajuda o projeto consegue.

ACOMPANHE AMIGOS DA MANCHA NAS REDES SOCIAIS:

Facebook – https://www.facebook.com/mancha.ong

Instagram – https://www.instagram.com/amigosdamancha/

Blog – https://clubedamancha.wordpress.com/

E-mail – clube-mancha@bol.com.br

___

Gostou? Veja mais posts sobre bichos.

Curtiu? Segue Herbívora no Facebook e assina o HerbivoraTube

Mutirão de Castração dos Amigos da Mancha  dia 14 março estamos precisando de Madrinhas e Padrinhos de Estimação. Existem  30 milhões de animais abandonados nas ruas e 10 milhões em abrigos , a única solução é a castração para o fim de crias indesejadas, abandono e maus tratos.Vamos mudar essa realidade.

Os Amigos da Mancha  são um projeto VOLUNTÁRIO QUE TEM RECURSOS APENAS de DOAÇÕES; quem tiver interesse em colaborar  conosco, sendo Madrinha ou Padrinho colaborando com uma castração de  uma cachorra ou gatinha, para só assim castrarmos mais e mais cães e gatos em situação de rua no espaço urbano da cidade de São Paulo.

bradesco ag.2979 cc2678-6

nome M.C.G.M. de Almeida

cpf 075226648-96

Estamos   fazendo todos os meses Mutirões de castração ,porque sabemos que não existem lares para 75% dos animais já resgatados por grupos de proteção. NÃO TEMOS ABRIGO, NÃO RECOLHEMOS ANIMAIS , só em caso de risco de vida, assim temos alguns nas veterinárias que nos ajudam , uma em um hotelzinho . E todos os dias ouvimos muitas histórias de  famílias , muitas desempregadas, que fazem muitos sacrifícios para ter e manter um grande número de animais em suas minúsculas casas, algumas de um cómodo só, pois preferem tê-los do que vê-los abandonados, sendo mal tratados , morrendo na rua e na porta de casa . E são essas histórias que não nos deixam desistir de nosso objetivo, pois queremos acabar com a crueldade e o abandono dos animais.  É isso que a gente faz todos os dias:Com força e vontade. Hoje, mais do que nunca, é o que vamos continuar a fazer. Tem muito trabalho pra ser feito no mundo.A gente é semente.  ADOTE UM AMIGO de FORMA RESPONSÀVEL.

ADOTE UM AMIGO de ESTIMAÇÃO, todos já castrados alguns ainda com seus “donos” porque não temos como os acolher , mas estamos acompanhado todos.

Branquinha 5 anos

Ovelhinha 1 ano

July 1 ano

Dalmata nasceu 1julho 2016

Pretinha nasceu 1julho 2016

Marron nasceu 1julho 2016

Mildred &Amarilis

Amarilis

” a Feia “

Ajude com a meta de conseguir adoção ou apadrinhamento para um cao e ou gato, entre seus Amigos. Desenvolva com seus amigos  um evento beneficiente (como por exemplo um bazar , brechó, almoço ). DOE ESPAÇO NA SUA MÍDIA site , revista , mídias sociais , vídeos para divulgarmos adoção e apadrinhamento. SEJA UM AMIGO VOLUNTÁRIO dos AMIGOSDAMANCHA.

Acompanhamos a Juju desde 2000, quando tinha apenas 5 meses. 16976781_1256812761092416_827534410_nFoi castrada e vacinada e a acompanhamos  até 2010. Todos os meses aparecia para banho,   para as vacinas anuais  e acompanhávamos  sua vida  de aventuras com a Silvinha que na época tinha 14anos e vívia em situação de rua. De vez em quando a Juju ía a pé até   á cidade de Santos onde a Silvinha tem família.

Em 2010 a Silvinha teve uma filha e ficou difícil carregar a Juju tambem.16831536_1256812741092418_623252967_n Assim a Juju nos adotou16934235_1256812807759078_1104370837_n 16976911_1256812594425766_1175356831_n 16997027_1256812977759061_513313546_n 16997320_1256812677759091_1575408624_n 16997356_1256812867759072_703399149_n 17006010_1256812464425779_1666030311_n e virou Mascote dos Amigosdamancha.DSC_0050 Foi muito bom SERMOS ADOTADAS pela Juju. Nos guiou por muitas caminhadas, tomou conta dos gatinhos e cães que resgatamos, nos acompanhou em consulta  ás veterinárias. DSC_0040Nos levou aos parques
das Corujas, do Por do Sol , da Pç Buenos Aires.DSC_2035DSC_3239 DSC_6949 - CópiaDSC_4336 - Cópia Augusta - CópiaE nós tentamos da melhor forma acolher a Juju; passou alguns fins de semana nas nossas casas e nos levou por caminhos do bem.
Tivemos a sorte de servi-la da melhor forma que pudemos.DSC_4138 Cópia de DSC_7057DSC_2247 DSC_5229
Assim deixamos nossa pequena homenagem `a “Nossa querida Juju” que partiu dia 20 de fevereiro.DSC_5703 E nos ensinou a ” Amar o que a vida nos dá,DSC_2243 - Cópia e  que devemos ficar perto dos Amigos porque,DSC_8951

Irene e Roseli, com regininha,lobão,bacalhau,july e branca

embora a amizade não acabe nunca, você não sabe o que pode acontecer amanha”.

16976277_1256812954425730_880904085_n17006133_1256812914425734_1619651789_n

16996784_1256778897762469_511908057_nEsta da foto é  a ” Farofa” e esta comigo desde 13 de janeiro 2017. Veio lá das bandas da rua 25 de Março e trouxe consigo  uma história de dor, sofrimento, abuso e maus tratos. Agora está  se adaptando bem ao meu apartamento de 50m quadrados apesar dos seus vinte e poucos kg.16706811_1240087619431597_1340392624_n 16700136_1240087729431586_538781114_n
Isso mesmo um apartamento pequeno, pois ao contrário do que imaginamos ninguém precisa de uma cobertura para adotar. Espaço não é o problema porque eles precisam de muito pouco. a parte mais difícil de se adotar um cão de rua  e é que já tem, sua rotina, faz xixi na rua, então apesar do pouco tempo que fico em casa ( eu estudo , trabalho e moro só), tenho que me virar para dar conta dos passeios diários. E mesmo assim é muito gratificante!  Não compre ADOTE. Sua casa não é pequena, nem seu tempo, pequeno mesmo é o coração dos humanos! Gratidão a todos que de alguma forma ajudaram que Ela chegasse até mim. Obrigada. por Luciana

 

Encontramos a “Farofa ” em situação de rua na 25 de Março , e na hora deu um aperto no coração, uma cachorra linda mas tão grande onde por? então foi uma correria divulgar nas redes sociais para arrumar uma Adoção ou um lar temporário. Em 48h apareceu a Luciana . Saímos correndo com a ajuda da Kylvia Rahanuzia Bezerra 16933479_1256778524429173_166769621_ntentando achar novamente a linda cachorra . Foi um momento dificil . Mas no fim tudo deu certo. E no fim do dia, de carona solidária com a Al Nahra  a “Farofa”  foi adotada. Bom saber que não fazemos nada sozinhas, e que sempre contamos com as melhores Amigas, para ajudar as Amigas que vivem em situação de rua.

 

 

animais-de-rua-sangue-am-13-ksth-id000002-1024x683gp-web
Publicação Gazeta do Povo

Acordo entre UFPR e prefeitura de Curitiba vai permitir exame de sangue dos animais e de seus donos para que ambos possam ser atendidos pelo resgate social nas unidades da FAS

Um projeto do Departamento de Medicina Veterinária da Universidade Federal do Paraná (UFPR) vai avaliar a saúde dos animais de moradores de rua de Curitiba e isso pode se transformar no acesso desse público ao serviço de resgate social. É o que pretende a presidente da Fundação de Ação Social (FAS), Larissa Tissot, que assinou, na semana passada, termo de acordo com a UFPR para iniciar a abordagem com a população de risco.

O objetivo é garantir a saúde dos moradores de rua e de seus animais para que eles possam juntos ser atendidos nos equipamentos da FAS. “Para que o resgate social seja feito, é essencial que o morador de rua vá aos equipamentos da FAS . Mas é muito difícil ele ir se não puder levar seu cachorro ou gato, que muitas vezes é o único vínculo afetivo que resta para quem já não tem mais contato nenhum com a família”, explica Larissa. Esse foi justamente o principal problema encontrado em 2014 pela prefeitura de São Paulo no programa que previa a transferência dos frequentadores da cracolândia para hotéis, que proibiram a entrada dos animais.

A iniciativa, apresentada pela médica veterinária Mara Gravinatti, 26 anos, como parte de seu projeto de mestrado na UFPR, prevê a coleta de sangue não só de cachorros e gatos, mas também dos próprios moradores de rua. O objetivo é fazer o exame dos bichos para verificar a possibilidade de transmissão de doenças, mas também comparar as análises de sangue dos moradores de rua que têm e dos que não têm animais. “Queremos avaliar se esses animais podem ser a causa de algumas enfermidades não só ao morador de rua, mas à população em geral”, explica Mara.

O sangue tanto do animal quanto da própria pessoa só será coletado se permitido pelo morador de rua. Inicialmente, será avaliada a incidência de quatro doenças: leptospirose, leishmaniose, toxiplasmose e chagas. Em um segundo momento, a intenção é estender a análise também para tuberculose.

Detectado a doença, seja no morador de rua ou no animal, ambos serão encaminhados para tratamento. Na abordagem dos veterinários, cães e gatos serão vacinados e receberão vermífugo e antipulgas. Se o morador de rua permitir, o animal também será encaminhado para cirurgia de castração.

Tratamentos dos animais podem ajudar os próprios moradores de rua a também buscar auxílio médico.Antônio More/Gazeta do Povo

Na próxima semana, Mara começa a cadastrar os moradores de rua que possuem animais nos seis Centros POP de Curitiba – equipamentos da FAS onde a população de risco pode passar o dia, podendo tomar banho, se alimentar, além de receber atendimento de assistentes sociais e psicólogos. Por dia, cada Centro POP atende 70 pessoas, totalizando 420 atendimentos. Já os abrigos têm 1.700 vagas para pernoite para adultos, crianças e adolescentes.

A veterinária já conduziu levantamento semelhante em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, onde dos 30 moradores de rua com animais avaliados, nenhuma doença foi constatada nem nos bichos, nem nos proprietários. “O estudo também vai servir para mostrar que, ao contrário do que muita gente pensa, os cachorros dos moradores de rua não são necessariamente causadores de doenças. No caso da leptospirose, por exemplo, a transmissão pode ser por rato”, aponta o também médico veterinário Alexander Biondo, professor da UFPR e orientador de Mara no mestrado.

Saúde do cão e do dono

A presidente da FAS, Larissa Tissot, acredita que o cuidado com a saúde do animal também possa ajudar o próprio morador de rua a se convencer da importância de buscar tratamento médico. “O cuidado com o animal pode se transformar em um espelho para que o próprio morador de rua também se cuide”, aponta.

Da experiência que teve no levantamento em São José dos Pinhais, a médica veterinária Mara Gravinatti constatou que na maioria das vezes o morador de rua não dá a devida atenção para a própria saúde, mas sempre se preocupa que seu animal esteja bem alimentado e saudável. “A gente notou que quando o morador de rua percebe que o animal evolui com os devidos cuidados, ele mesmo se permite ser encaminhado para alguns atendimentos, como auferir a pressão ou uma avaliação dos dentes”, aponta Mara.

Fim do ano com a” Rita Lee uma autobiografia” Globo Livros 26,94 reais.O primeiro disco voador ao último porre, Rita  Sem culpa nenhuma. Tanto que, ao ler o livro, várias vezes temos a sensação de estar diante de uma bio não autorizada, tamanha a honestidade nas histórias. A infância , vida artística; sua prisão em 1976; o encontro  com Roberto, os filhos, as músicas ; Está tudo lá. E você pode ter certeza é a obra mais pessoal que ela poderia entregar de presente para nós. Rita cuidou de tudo. Escreveu, escolheu as fotos e criou as legendas – e até decidiu a ordem das imagens -, fez a capa, pensou na contracapa, nas orelhas… E tem muita história da bicharada claro , desde criança os gatos de rua que  dormiam escondidos no porão e pariam , depois desmamavam, saía  com os filhinhos oferecendo para doação. A  vontade de comprar a primeira cachorra ,  acabou conhecendo  a criadora-assassina e ficando com a rejeitada, porque ía ser sacrificada no dia seguinte;15909939_1202642276509465_1712343518_n-1 o  gato Coca-Colo queimado com água quente que adotou a Rita e veio para Sampa  dentro da bolsa,  invisível a fiscalização do Aeroporto. O gatinho Jesus. e os assassinatos de Gace Benedita e Laura Zen.

Muita good e bad trip, dos best-friend como diz a Rita ” Nós que sobramos morremos um pouco  com cada um deles.Para não deixar a tristeza vencer; quando um se vai adotamos um novo no ato “.

Cachorros são para-raios dos humanos , enquanto gatos neutralizam o baixo-astral.

e nos deixa tambem uma SINGELA ORAÇÃO

obrigada  S.Francisco, pelo amor puro que recebi de todos os bichinhos que tive , tenho e  ainda terei. E, em nome da justiça divina, peço-vos que mande um raio a quem os maltrata Amém.

e como a Rita Lee   diz “sigo sendo uma septuagenária bem vivida, bem experimentada, bem -amada , careta,feliz e… bonitinha com tempo para curtir a casa  no mato, cuidar da horta , paparicar os filhos, acompanhar a neta,lamber meus bichinhos, deixar os cabelos brancos, descolar adoção para bichos abandonados, namorar o Roberto e, se ainda me sobrar um tempinho compor umas musiquinhas.15037198_1141046146002412_5120786503313486507_n

E continua: “Quanto mais simples, melhor. Fazer economia é chique e ecológico. Nessa visão, poder comer da própria horta é um luxo. Eu não quero ter uma Ferrari e ficar me exibindo em rua esburacada. Eu não tenho deslumbre. Não vou me entupir de coisas materiais sem sentido, mansões genéricas…Eu gosto de ficar bem na minha, com meus bichos, que são entidades com as quais divido minha vida. Eu fico comovida quando eu lido com eles, quando os trato, quando trocamos figurinha telepaticamente. É um luxo! Vivo cercada de bichos por carência do divino. E eles são o divino”.

15355919_1265292000198875_1365501712_najude a divulgar a” Regininha ” para ADOÇÃO POSSE RESPONSÁVEL

Nossos AMIGOS de todas as horas o Fujocka e a Luiciana nos mandaram uma linda foto hoje . Todos os seus Amigos de Estimação foram adotados de forma Responsável  e de grupos de proteção e a gatinha Siamesa  foi adotada dos Amigos da Mancha15857578_1198977176875975_1689436347_o

e a foto que fizemos quando foi adotada. Acompanhamos todos os Animais que resgatamos e Doamos de forma responsável.DSC_4362

dia 1 de Janeiro o ano acabou de começar e o ABANDONO também ,  logo cedo a Silvia viu uma cachorrinha sendo abandonada com 6  filhinhos , todos  com  saúde sem pulgas  em Mairiporã. Como não temos Abrigo a Silvia correu pedindo ajuda, conseguiu doar 2 cachorrinhos  e tambem um  Lar Temporário por alguns dias   para a Mãezinha  viralata adulta e seus 4 filhotes: 2 machos ;2 femeas todos de aproximadamente 3 meses. Todinhos idênticos pretinhos. Amanhã vai até ao centro de Control de Zoonoses de São Paulo   pedir uma vale castração para os cinco.15870857_1198964646877228_714778286_n-1

e tambem sabe de uma senhorinha sem condições que tem

Sao 4 filhotes gatinhos de uns 3 meses: 2 rajados, 1 preto e branco , 1 siames, sendo  3 machinhos +1 fêmea. que a Silvia vem ajudando com arroz e frango todos os dias. e uma gata adulta Todos estes precisam ser castrados e estão para  Adoção Posse Responsável  E mais uma gata adulta que precisa tb ser castrada mas  não vai estar para adoção. apenas para não ter mais crias indesejadas. todos estão em Mairiporã . Após a castração a Silvia entrega  para quem quiser adotar de forma responável. Assim  precisamos de ajuda para castrar 4 filhotes e 2 gatinhas adultas Você pode ser uma madrinha ou padrinho de Estimação? contato via email clube-mancha@bol.com.br15817691_1198964916877201_1792900614_o-1

Por  Tatiana e André

“Este ano o presente de Natal veio mais cedo! E foi o melhor de todos! Já pensávamos há algum tempo em adotar um gatinho. Colocamos rede no apartamento e estávamos esperando o nosso bichano chegar. E esse dia chegou! Primeiro adotamos a Frida e nem uma semana depois adotamos a Maya. Elas são irmãs e pensar que uma estava em casa cheia de amor, carinho e brinquedos enquanto a outra ainda aguardava uma familia doía no coração. E foi a melhor coisa que fizemos! Elas se amam! Fazem tudo juntas! E ficamos mais despreocupados quando saímos de casa porque sabemos que elas se fazem companhia! Claro, que ter um bichano requer responsabilidades. Mas a casa tem outro clima! A casa esta sempre feliz e cheia de amor! Adote um bichano! É a melhor coisa que você pode fazer! “15870833_1198954893544870_237387446_n15817642_1198954503544909_1712615767_o 15822454_1198954866878206_779522851_n

a Maya e a Frida   resgatamos da favela do Moinho, castramos a Mãezinha e como não tinha comida não estava alimentando os filhinhos há já 3 dias , por estarem correndo risco de vida pegamos toda a ninhada, e fomos divulgando que estavam para adoção posse responsável .todos já foram doados em dupla.15723894_1192807810826245_324726246_n-1

No nosso trabalho de castração de animais em situação de rua , sempre que pegamos uma  mãezinhas para castrar, vem a pergunta,dá para ficar com os filhinhos, se não, vou deixar por aí, ou dizem também;não vou deixar castrar a Mãezinha .Como assim!!!!tipo chantagem mesmo . E na hora isso pega.
Mas sempre penso que vamos conseguir  e sempre acabamos ficando com as “Sobras” . como não temos Abrigo  temos as amigas veterinárias que nos ajudam e deixam ficar um tempo na Clinica e vão mostrando aos seus Clientes e nós vamos divulgando e chamando os amigos também. Na verdade é uma pequena logistica , resgata num lado deixa no outro ,corre para divulgar e a história sempre se repete. Este ano pegamos uma mãezinha na favela da Paz e 8 filhinhos , 4 filhinhos preferidos , castramos a mãezinha e os “preferidos” e os  devolvemos15841420_1198935183546841_1886727501_n-1 ainda com a roupinha cirurgica  dois dias depois da castração e nos prometeram deixar  presos em casa , mas na hora ficaram soltos mesmo e correram para cima do telhado fugindo dos cães. a Dra Eliane até disse ” Deus cuida” 
e ficamos com os outros 4. que doamos de forma responsável, dois foram adotados pelo Gabriel e Claudia Trevisan

E vocês acharam que iríamos ficar só com uma, né? Pois é, eu também achei, mas me enganei.

Eu e minha mãe decidimos adotar mais uma gatinha a uns meses atrás para fazer companhia para a Mel, porém os planos mudaram ao chegar na clínica de adoção.

Encontraramos quatro gatinhos da rua, todos da mesma ninhada.15871133_1198935160213510_2072187427_n

Quando eu peguei a Sophie no colo ela não me largou mais, e quando a minha mãe pegou o Théo ele não largou mais ela.13835986_1176470845758189_1550966527_o 15749746_1192882384152121_1883675674_n

Resultado: Na dúvida levamos os dois e agora tem mais bicho na minha casa do que na casa da Luisa Mel hahahaha13840570_1176470772424863_1644072010_o

No começo pareceu loucura ficar três gatíneos, mas em pouco tempo nos acostumamos e hoje não consigo mais imaginar como seria sem eles, correndo pra todo lado, brincando o dia inteiro e roubando as coisas de dentro da bolsa da minha mãe. Sim, temos uma quadrilha em casa.

Foi um presente de Deus esses dois serumaninhos

Venham conhecê-los. Por Gabriel Trevisan15841257_1198934550213571_1884639433_n

15778399_1192815247492168_41517621_oOs Amigos da Mancha  são um projeto VOLUNTÁRIO  QUE TEM RECURSOS APENAS de DOAÇÕES, você nos ajuda a castrar mais e mais  animais em situação de rua, porque  só Juntos podemos ser a MUDANÇA que queremos ver no mundo.15725906_1192801617493531_994346990_o 15731492_1192844724155887_224272588_n 20160330_111551

Este ano criamos o projeto madrinhas e padrinhos de castração  de animais em situação de rua dos Amigos da Mancha,  conseguimos castrar 18 cães , 60 cachorras,25 gatos, 51 gatas. todos animais em situação de rua. Pode parecer pouco, mas estes animais, entregues à própria sorte e se reproduzindo de maneira descontrolada, poderiam chegar facilmente a gerar milhares de filhotes que gerariam mais outros milhares, em um círculo infinito de abandono e sofrimento. Estamos  Felizes por termos feito este ano muitos novos AMIGOS . Nossa luta não termina. 2017 vem aí e novos mutirões de castração serão realizados e contamos com mais  novos Amigos. E aqui deixamos nosso agradecimento a todas as Madrinhas e Padrinhos LianaMartinelli, AlessandraNahra, MarciaTescari, LaisBotti, GabiParaná e Guilherme, Paula e Lucas, GiseleSantos, MarianaGianini, BiatrizMorgado, PatriciaHelaine, Rubens, SandraMerrissi, HelisabethCanelas, FabianaNoda, BrunaMazziotti, DanielaRessia, AnnaCmc, FernandaCarolinaFerreira, LuizaDias, Teresa, PatriciaCitrangulo, AugustaMarchesan, MLucia, Kátia, HelenaTerentin, ClaudiaCunha, Claudia, Carina,  Anamy, Monica, Waléria, AnaPaula, Rosanaboop, AdrianaHuggneier, ThabaCristine, KarinCremm, MLuisaLeite, IreneMarchesan, Flavia, Thais, SilviaReginaElias, TerezinhaBotti,Laura, Nice, Wilma e catsitter_amigatos. Ai meus Deus quanta gente espero não ter esquecido ninguem!!!

Madrinhas e Padrinhos , que livremente doaram de forma solidária, tem uma nova  amiga que mesmo vivendo  fora do Brasil contribui com a castração de uma gatinha por mês, uma que todos os meses é madrinha de quatro gatinhas,  uma que um dia  em que não tínhamos conseguido nenhuma madrinha contribuío pagando as 7 gatinhas castrados no dia, tem madrinha que além do custo da castração tambem contríbuio com a vacina, tem madrinha que também pagou os quatro dias de hotelzinho para a cachorrinha se recuperar antes de voltar para a rua, e madrinha que adotou uma gatinha em situação de rua e também pagou  a castração dos irmãos para serem doados, tem madrinha que foi lar temporário e pagou a castração. È isso Madrinhas para quem precisa de Madrinhas. SÓ TEMOS QUE AGRADECER A TODOS e dizer que sem o Vosso amor pelos Amigos de estimação em situação de rua não teríamos castrado  18 cães , 60 cachorras,25 gatos, 51 gatinhas. Contamos com todos vocês em 2017 e com muitos mais Amigos. Por favor  divulguem , compartilhem porque este Projeto de castração  de animais em situação de rua dos Amigos da Mancha é de todos nós que gostamos de animais e não queremos ver mais crias indesejadas , maus tratos e abandonos.

Você também pode ser Padrinho e Madrinha Projeto de castração  de animais em situação de rua dos Amigos da Mancha contribuindo para a castração de uma gatinha ou cachorra em situação de rua

contato com o email clube-mancha@bol.com.br

 

Este ano resgatamos o Scotch 15731647_1193160660790960_399022210_ne por ter sofrido maus tratos e de dificil adoção, arrumamos umas madrinhas MUITO Especiais  a Camila e sua  Mãe a  Hanny ,15749783_1193131694127190_254369513_n-1 15750039_1192866370820389_1765364298_n que apesar de já terem seus animais de estimação colaboram mensalmente  para costear os gastos com o Scotch,Você também pode ser madrinha de um animal resgatado até sua adoção. contato clube-mancha@bol.com.br

Os Amigos da Mancha  são um projeto VOLUNTÁRIO  QUE TEM RECURSOS APENAS de DOAÇÕES, você nos ajuda a castrar mais e mais  animais em situação de rua, porque  só Juntos podemos ser a MUDANÇA que queremos ver no mundo.

Este ano ao  criarmos o projeto madrinhas e padrinhos de castração  de animais em situação de rua do Clube da Mancha,   Com a ajuda dos Amigos veterinários e do Centro de Control de Zoonoses  de São Paulo, tambem tivemos um contato maior com o Abandono de animais  em situação de rua e que tentamos  acolher de forma solidária.  Como não temos Abrigo,nem  como pagar hotelzinho contamos com a ajuda de “lares temporários” ; da Kylvia da Alessandra e da Telma e nossas casas claro.Todos Amigos que já têm seus animais mas acolheram  tambem  a Cristal,os 4 filhinhos da Mel, o Chico e a Costélinha.E todos foram acolhidos como  Amigos de Estimação da Família. Nosso muito Obrigada20161110_114257 20161125_163724 20161220_145535

Os Amigos da Mancha  são um projeto VOLUNTÁRIO  QUE TEM RECURSOS APENAS de DOAÇÕES, você nos ajuda a castrar mais e mais  animais em situação de rua, porque  só Juntos podemos ser a MUDANÇA que queremos ver no mundo.

Este ano ao  criarmos o projeto madrinhas e padrinhos de castração  de animais em situação de rua do Clube da Mancha,   Com a ajuda de  6 veterinários  Dra Eliane Botti , Dra Amarilis Garcia , Dra Vanessa Canete, Dra Camila Nipper,dr Tineu Romano, dr Alexandre e do Centro de Control de Zoonoses  de São paulo, tivemos que pensar como trazer todos os animais em situação de rua até á clinica Pode parecer pouco, mas tudo isto só foi possivel porque  saímos atrás dos Amigos aqui da rua mesmo, pedindo caronas solidárias no leva e trás   , dos cães e gatos da favela em situação de rua até á Clinica e na entrega após a castração, cada um em seu proprio carro.  Sem os quais não teríamos como castrar  todos os 18 cães , 60 cachorras,25 gatos, 51 gatas, todos animais em situação de rua.

Aproveitamos e fazemos nosso agradecimento público aos Amigos os “CARONAS SOLIDÀRIOS” a  Kylvia, o Eduardo,a Patricia, a Telma , a Carolina , a Suzana  e a Dra Eliane que após castrar os animais ainda fez todas15713168_1192812007492492_1122808489_n-2  as entregas dos animais castrados no dia.20161222_083933
20161107_151421
 Bom  para dizer a verdade não é só uma carona, é estar junto e dividir  as vidas que chegam a nós e que não podemos deixar para trás. Os ” Caronas Solidários ” acabaram adotando e ou sendo lares temporários  das vidas que ninguém queria.20161129_111931
20161207_151524-copia
20161220_135340-copia15724089_1192811520825874_641635730_n-1

Os Amigos da Mancha  são um projeto VOLUNTÁRIO  QUE TEM RECURSOS APENAS de DOAÇÕES, você nos ajuda a castrar mais e mais  animais em situação de rua, porque  só Juntos podemos ser a MUDANÇA que queremos ver no mundo.

Este anos criamos o projeto madrinhas e padrinhos de castração  de animais em situação de rua do Clube da Mancha,   E com a ajuda de  6 veterinários  Dra Eliane Botti , Dra Amarilis Garcia , Dra Vanessa Canete, Dra Camila Nipper,dr Tineu Romano, dr Alexandre e do Centro de Control de Zoonoses  de São paulo, conseguimos castrar 18 cães , 60 cachorras,25 gatos, 51 gatas. todos animais em situação de rua. Pode parecer pouco, mas estes animais, entregues à própria sorte e se reproduzindo de maneira descontrolada, poderiam chegar facilmente a gerar milhares de filhotes que gerariam mais outros milhares, em um círculo infinito de abandono e sofrimento. Estamos  Felizes por termos feito este ano muitos novos AMIGOS .Claro que gostaríamos de ter feito mais. Nossa luta não termina. 2017 vem aí e novos mutirões de castração serão realizados e contamos com mais  novos Amigos veterinários nos ajudando Porque acreditamos que o caminho mais seguro para um futuro sem animais na rua seja a castração, uma vez que é quase impossível pensar que todos que nascerem serão adotados. Em 2017, mais do que nunca, contamos com a disposição e o apoio de todos. Juntos podemos ser a MUDANÇA que queremos ver no mundo.

Os Amigos da Mancha  são um projeto VOLUNTÁRIO  QUE TEM RECURSOS APENAS de DOAÇÕES; quem tiver interesse em colaborar  conosco, sendo Madrinha ou Padrinho  colaborando com uma castração de  uma cachorra ou gatinha, para só assim castrarmos mais e mais cães e gatos em situação de rua no espaço urbano da cidade de São Paulo.

contato via email clube-mancha@bol.com.br   ou  bradesco ag.2979 cc2678-6 nome M.C.G.M. de Almeida cpf 075226648-9612939141_966658626774499_1237816379_n (1)15226477_1159206850853008_1685434881_n 15731376_1192807244159635_1729499453_n 15731683_1192809134159446_761143848_n 15778399_1192815247492168_41517621_o15712932_1192810990825927_231575347_n 15713302_1192810300825996_928610711_n 15722441_1192809634159396_2123277899_n 15722820_1192809730826053_1839081514_n 15723894_1192807810826245_324726246_n-1 15724243_1192808020826224_749284020_n 15725988_1192808997492793_1596357114_o 15731003_1192880237485669_1913068425_n 15731292_1192813324159027_1845403897_n 15731345_1192810684159291_1769389178_n 15731369_1192811654159194_277236789_n 15731460_1192809844159375_1597481331_n 15731623_1192811124159247_960960096_n 15731664_1192807607492932_1166207348_n 15748974_1192815380825488_804678295_o 15749445_1192811050825921_1512879755_n 15749638_1192809924159367_1476366476_n 15749890_1192809390826087_446294794_n 15749902_1192810014159358_1574683293_n 15778176_1192815050825521_1093003294_o 15778399_1192815247492168_41517621_o

Este anos criamos o projeto madrinhas e padrinhos de castração  de animais em situação de rua, e com a ajuda de  6 veterinários  Dra Eliane Botti , Dra Amarilis Garcia , Dra Vanessa Canete, Dra Camila Nipper,dr Tineu Romano, dr Alexandre Martins e do Centro de Control de Zoonoses  de São paulo, conseguimos castrar 18 cães , 60 cachorras,25 gatos, 51 gatas. Tem Veterinário que castrou  uma cachorra, veterinário que castra sempre que achamos um animal em situação de rua,  veterinário que faz mutirão uma vez por mês e tem veterinario que faz 2 pequenos mutirões por mês. Queremos muito mais no ano que vem e aproveitamos para convidar novos Amigos veterinário , e pedir que cada um  nos ajude da melhor forma, castrando um  por mês, já seria uma maravilha  dois ou mais sería  Ótimo . Estamos abertos  a todas as possibilidades porque cada vez tem mais e mais animais abandonados, e a CASTRAÇÂO é a única solução.Porque não existem ABRIGOS e nem existem famílias para  os 75% já recolhidos por grupos de proteção .12939163_966658380107857_29285225_n15556168_1183578348415858_1471862808_o 15722509_1192795797494113_435552782_n 15731376_1192807244159635_1729499453_n 15731388_1192796457494047_1303282372_n-1

15722851_1192870920819934_281267084_n 15725808_1192801330826893_837839554_o 15730787_1192866027487090_1815668599_n 15749571_1192870727486620_1825469381_n
No Ano de 2016 doamos 21 gatos  38 cães que estavam em situação de rua, para famílias que  fizeram Adoções Posse Responsáveis. Todos foram doados já castrados.15750039_1192866370820389_1765364298_n13835986_1176470845758189_1550966527_o 13840570_1176470772424863_1644072010_o 15724289_1192881310818895_627801119_n 15731003_1192880237485669_1913068425_n 15749746_1192882384152121_1883675674_n 15750265_1192883464152013_1012731213_n13817002_1034729819967379_144038214_n15682268_1190457991061227_2084280442_o 15713082_1192812980825728_1230084347_n 15722444_1192802334160126_594103140_n-1 15722497_1192814724158887_775221401_n 15722578_1192813597492333_1504735154_n 15722885_1192857347487958_459953764_n 15730906_1192814244158935_767352710_n-1

15723961_1192844194155940_1577244412_n 15731492_1192844724155887_224272588_nFim de Ano, hora de prestar contas  a todos que Os Amigos em situação de rua que nos encontraram  e a todos  os Amigos que nos ajudaram  a cuidar e possibilitaram Todos estes Resgates.Em 2016 resgatamos  27 gatos  e 40 c
ães .15712974_1192800580826968_1002704833_n 15713368_1192803000826726_1184196003_n 15722444_1192802334160126_594103140_n 15723891_1192801137493579_307505290_n 15724120_1192803864159973_18618758_n 15724155_1192802740826752_1474285586_n 15725906_1192801617493531_994346990_o 15776406_1192814937492199_1103909991_o15722861_1192817640825262_1799731564_n 15723894_1192807810826245_324726246_n 15725808_1192801330826893_837839554_o 15731536_1192804494159910_1785565033_n 15748340_1192804320826594_926682995_o 15748682_1192804840826542_1381723582_o 15750198_1192813137492379_1084768479_n 15778460_1192806647493028_1875526421_o

 

Me chamo Bruno Maia e Adotei um cachorro! Chico.15682268_1190457991061227_2084280442_o Lindo, simpático, ultra carinhoso e companheiro. Se não fosse esse talvez demoraria para me simpatizar com algum outro. Fiz uma surpresa para minha mulher, que adora cachorro, e deu super certo.  Morávamos em um apartamento, e há 6 meses em uma casa na Zona Sul de SP. Como estamos trabalhando de casa não haveria problema ter um cachorro. Estaríamos com ele todo o tempo. E se um saísse para alguma reunião de trabalho o outro ficaria em casa.15683135_1190458114394548_2121151222_n O Chico está conosco vai fazer um mês dia 26. A princípio ele se adaptou muito bem, muito tranquilo. Só que quando adotamos um cachorro costumamos achar que é tudo festa. Adotar um bicho não é só festa. É responsabilidade. É preocupação. É planejamento. É grana. Sempre temos que ter isso em mente. Não estou falando isso para que você não adote. Estou incentivando que você tenha consciência do que está fazendo para não se arrepender depois.  Ter um bicho em casa é alegria, é vida! Mas também é acordar cedo, é levar no veterinário à noite, ou voltar correndo para casa durante o dia, é dar atenção, é educar para não comer móveis ou estragar nossos objetos favoritos;E isso não é uma coisa ruim! Pelo contrário. Se importar é amar.; Mas isso tudo sabemos que é temporário, é adaptação. E nisso é sempre bom uma ajuda de fora, de um profissional para nos auxiliar nesse primeiro momento.  Pretendemos colocar um adestrador no começo do mês. Até porque não nascemos sabendo como educar um bicho que tem vontades e manias (principalmente quando vem da rua, depois de abandonado).15227946_1159206764186350_1450079765_n Mas adote um cachorro, um gato… É uma das melhores ações que você pode fazer. Você vai ver que existe um outro mundo, mais feliz. Vai te obrigar a sair de casa para passear e vai fazer você ver que a vida ao ar livre e cuidar de um outro ser é a melhor coisa da vida. 
Obrigada a todos que  ajudaram o Chico .





Este ano foi um ano cheio de AMIGOS da MANCHA , resgatamos, cuidamos, castramos e doamos cães e gatos.

Os Amigos da mancha  são um projeto VOLUNTÁRIO  QUE TEM RECURSOS APENAS de  DOAÇÕES; quem tiver interesse em colaborar  conosco, sendo Madrinha ou Padrinho  colaborando com uma castração de  uma cachorra ou gatinha, para só assim castrarmos mais e mais cães e gatos em situação de rua no espaço urbano da cidade de São Paulo.

contato via email clube-mancha@bol.com.br   ou  bradesco ag.2979 cc2678-6 nome M.C.G.M. de Almeida cpf 075226648-96.14222205_713801765426708_7836182719500337134_n
img_20160217_231948
14249175_1072196392887388_990791525_n20160308_163024

20160824_113023
dsc_3864

20160819_152048

20160827_172630

14625339_1102626619844365_1033941896_n
14658256_1102626636511030_1819423620_n 20160720_120815
14247780_1075125082594519_749364018_o
13883923_1042731002500594_1981543853_n
IMG_20160206_122758


IMG_20160203_131618
14793901_1115187668588260_1539817813_n 14938076_1131795080260852_1513107323_n 15032338_1127627147358424_487076542584747667_n 15398938_1168880773218949_1435401409_o15226477_1159206850853008_1685434881_n


20160318_113107
20160330_110403
20160330_111551
20160330_124205

Nosso amiga Kátia  sabendo do Ademir nos ajudou tambem com coleiras de identificação para o Ademir, proteger seus tres cães, porque não damos conta de todos estes anos arrumar medalhas de identificação para os seus cães.15310478_1168882079885485_412095608_n

Como a kátia disse” por serem tantos e por terem perdido tantas medalhinhas, fui em busca de outra opção de identificação, e acabei descobrindo as coleiras bordadas. Hj faço par vender, para que substituam as plaquinhas. Parte da renda é usada para ajudar cães carentes. Seja com compra de ração, seja entregando em doação coleiras bordadas para moradores de ruas, ou para famílias de baixa renda que amam seus cães. Quem tiver interesse, pode mandar e-mail para bisteca.coleiras@gmail.com ou via mensagem no Instagram @nossavidadecachorro

Meu nome é Katia, sou esposa, profissional de marketing, mãe de 5 cães e madrasta de 2.
Há 4 anos, por manobras do destino foram abandonadas no estacionamento do lugar onde trabalho 2 fêmeas de pouco mais de 60 dias.
Eu e meu marido já estávamos planejando ter cães. Apesar de eu gostar muito, nunca tinha tido.
Naquele dia depois de muita conversa e sins e nãos, levei a Bisteka pra casa. A irmã dela foi tb adotada por um colega de trabalho.15311611_1168879406552419_450153177_o

Começou aí minha aventura como mãe de cachorro. Amor imediato e irrestrito. Cuidei dela, castrei, sentia falta todos os dias. Quando chegava em casa ficava grudada naquela bolinha de pelos.
Depois de 1 ano decidimos que teríamos mais um cão para fazer companhia a ela. Busquei uma ONG seria, e por alguns meses troquei mensagens e telefonemas com a Vera, presidente da Acãochego que nos orientou adotar um macho, pelo perfil dominante que a Bisteka tinha.
Em abril de 2013 adotamos o Chopp, um menino muito medroso, então com 7 meses, que já havia sido adotado e devolvido por 2 vezes. Naquele dia prometemos a ele que ele estava indo pra casa, e que nunca mais seria devolvido. Passado 1 mês de convivência pacifica entre os dois, em um sábado fomos leva-los ao petshop para tomar banho, quando a veterinária nos chamou para mostrar uma cadela que havia sido resgatada de um carroceiro por outra cliente da clínica. Estava pele e osso, não era alimentada, e havia sido usada para procriar, para que o carroceiro vendesse os filhotes. Ela tinha por volta de 9 meses. Nos sensibilizamos com aquela figura magra e triste e a adotamos naquele exato momento. Assim, a Breja entrou na nossa família, em menos de 2 semanas recuperou a alegria e principalmente o peso e a saúde.15388543_1168879133219113_1815271660_o

Em outubro de 2014 depois de já questionar muito a alimentação com ração – que devia ser muito chato comer a mesma coisa todos os dias – já que os cães não comiam toda a aração do pote, comecei a pesquisar alternativas de alimentação. Imaginava que deveria ter alguma alternativa para eles quererem comer melhor. Foi quando encontrei o site www.cachorroverde.com.br15320382_1168878626552497_413032404_n15328402_1168878733219153_1528333999_n

e me encantei com o universo de possibilidades da alimentação natural para cães e gatos. Li quase todo, anotei muitas coisas, comprei a tabela que sugere a quantidade para cada cão, mas ainda assim, achava impossível fazer comida para 3 cães pela minha rotina de trabalho e de casa. Acabei sabendo por uma amiga que uma amiga dela estava começando a fazer para vender. Passei a comprar a alimentação natural balanceada congelada e a foi uma sensação incrível de estar dando produtos de qualidade para os cães. Como não tenho filhos, deve ser a mesma sensação de orgulho quando um filho aceita e se apaixona por verduras e legumes.

O pelo mudou, o brilho, a energia, a disposição, tudo começou a ficar diferente. Ah, e o cocô é a mesma coisa, não muda nada depois de adaptados à nova alimentação. Claro que o processo de adaptação, que leva no máximo 10 dias, altera, mas depois normaliza.
Em novembro, uma filhota de menos de 6 meses foi abandonada num abrigo que sou voluntária. A presidente da ONG me mandou uma imagem daquela pequena com cinomose, dizendo que apesar do estágio da doença, parecia que ela poderia ser curada. Pedi que levasse para tratamento, e com um grupo de voluntarias/madrinhas, ela foi tratada, e adotei a Pequena que só veio pra casa em fevereiro, depois de ficar curada.
Em dezembro desde mesmo ano me inscrevi no curso de alimentação natural da Dra. Sylvia Angelico, responsável pelo site e foi incrível. Aprendi muito sobre alimentação natural, o que pode, o que nunca pode, os complementos, as vitaminas, os alimentos tóxicos e os petiscos industrializados super nocivos à saúde deles. Mudança novamente nos hábitos alimentares dos 3.
Me animei e por algum tempo fiz as comidas em casa, alternando com a comprada. Passei a fazer tb petiscos de receitas do site. E aprendi a fazer uma canja de frango orgânico que é um soro milagroso quando eles estão doentes, com problemas estomacais. Essa nova realidade tb me levou a buscar alternativas mais naturais com a saúde e medicações. Por indicação da Dra. Sylvia, conheci a Dra. Carmen Cocca, veterinária holística que passou a tratar da saúde dos meus cães.
Em busca de novas opções de alimentação natural, cheguei ao Cozinha Animal. Em conversa com a proprietária, tive a feliz informação que ela tb seguia o Cachorro Verde e que poderia fazer as porções exatas para cada um dos meus cães seguindo a orientação da Dra. Sylvia.
Família formada, 4 cães em casa. A nossa casa tb é dos cachorros, circulam por todos os cômodos. São parte da família.
Até que em abril, estava andando na periferia de SP, e me deparei com um cão pequeno, bem pretinho, assustado e pedindo ajuda com os olhos tristes. Não pude dar as costas. Era uma rua movimentada, tarde da noite. Me abaixei e peguei aquele corpinho fraco debaixo de um carro. Era uma menina, filhote ainda. Tava com o rosto e várias partes do corpinho com feridas, levei direto pro pet 24h,
 e depois pra casa. Muito assustada não comeu e nem se mexeu durante a noite. Decidi que trataria dela antes de pensar em colocar para adoção. Era um caso difícil, que exigiria muitos meses de tratamento, muito medicamento, alimentação natural adequada e muito amor. E em se tratando de amor, a gente dá e recebe muito em troca, e depois de 3 meses não conseguimos mais pensar em não ter a Preta definitivamente em nossa família. Agora a família está completa. Minha missão com os cães não para nem termina. Ajudo, resgato, divulgo, busco família, me envolvo com ONG. O que tiver a meu alcance, e puder fazer, eu faço. Todos os meus cães são castrados e chipados, e mais importante, identificados. E por serem tantos e por terem perdido tantas medalhinhas, fui em busca de outra opção de identificação, e acabei descobrindo as coleiras bordadas. Hj faço par vender, para que substituam as plaquinhas. 15319328_1168879823219044_2032845303_n 15319420_1168879639885729_1396096659_n

Parte da renda é usada para ajudar cães carentes. Seja com compra de ração, seja entregando em doação coleiras bordadas para moradores de ruas, ou para famílias de baixa renda que amam seus cães. Quem tiver interesse, pode mandar e-mail para bisteka.coleiras@gmail.com ou via mensagem no Instagram @nossavidadecachorro onde mostro o dia-a-dia dos meus 5 filhos peludos.

15300608_1168881633218863_704658155_n 15328220_1168881243218902_204305496_n 15356798_1168881876552172_1805034682_n 15398938_1168880773218949_1435401409_oAdote. Ajude a mudar a realidade de animais abandonados no Brasil

Hoje no nossa visita ao Abrigo D.Bosco acompanhamos o nosso AMIGO ADEMIR  54 anos e seus 3 cães.15102275_1147217892051904_999713145_o

Conhecemos o Ademir desde 2009 vivendo na rua no bairro de Perdizes sempre resgatando cães abandonados na rua e procurando lares para eles. Nos pediu uma carroça; juntamos  os Amigos da Mancha e compramos a carroça para o Ademir trabalhar , mas como tinha problemas com alcool o Ademir  deixou seus cães com um grupo de proteção e ficou internado no hospital de Taipas,  durante um ano foi acolhido e fez tratamento para dependentes quimicos e de alcool. Desde então acompanhamos o Ademir e suas dificuldades pela vida e tambem preocupados com os cães. Agora em novembro o Ademir foi acolhido no Abrigo D.Bosco e continuamos olhando seus cães ;há 15 dias fizemos a vermifugação e tratamento antipulgas  e hoje o reforço do vermífugo e demos a vacina V8.15065003_1147214975385529_760506688_o 15145290_1147224102051283_1022132572_o 15152453_1147221165384910_183249434_o

Ademir está sendo acompanhado pelo Caps  da Estação da luz , onde passa todos os dias  com a assistente social e psicologo,  para acompanhamente de dependentes  , e faz trabalho de carreto e recolha de reciclagem, enquanto espera um trabalho de ajudante geral na construção. O Ademir é cuidado tambem por seus  tem seus 3 cães o Ted, Spaik e o Ki  seus protetores e sua família,que  o acompanham desde 2009.

Nos pediu  ajuda Para os cães,  precisa de 3 correntes de ferro , porque deixa seus cães presos em cima da carroça para não sairem correndo pela rua

3 coleiras antipulgas, 3 coleiras fortes, 3 medalhinhas com identificação ,  perdeu  denovo as que lhe demos .

Para o Ademir um tenis bem forte para o trabalho e um oculos porque tem 14 graus, e o oculos atual  já está  desatualizado.

se você poder ajudar o Ademir  faça contato via Email clube-mancha@bol.com.br

contado com  Educador Carlos Tosta após as 13h ou aos sabados da parte da manhã tel 979785322

ou venha pessoalmente ao Abrigo D.bosco Alameda Dino Bueno 735 Campos Elíseos,São Paulo mas antes marque com o Carlos para o Ademir te esperar. Mas por favor não dê dinheiro ao Ademir, sempre tentamos ajudar de oura forma .

Conhecemos o abrigo D.Bosco em 2002 ,que  abriga carroceiros acompanhados de seus cachorros, que estão por diferentes motivos em situação de rua  até que os mesmos  consigam se organizar. Faz um acompanhamento dos mesmos ajudando-os,  a conseguir  por em ordem a documentação pessoal e suas vidas de forma a se integrarem novamente á sociedade. Todos trabalham durante o dia,  na rua e voltam com o produto de seu trabalho para o abrigo onde podem guardar sua carroça e suas coisas.DSC_8918
DSC_8953
O abrigo oferece cama, café da manha , local para banho, sala de tv, e podem , lavar a roupa  e fazer suas refeições ; tem tambem uma pequena  biblioteca em formação
. Está localizado  na Alameda Dino Bueno 735 Campos Elíseos,São Paulo; No momento abriga 46 pessoas,5 mulheres e 41 homens  e tres cachorros a dona Hebe DSC_6156 , a Pretinha e a Neguinha  .Se você puder ajudar, o abrigo aceita doações  de  produtos de limpeza , higiene, roupas e alimentos  para completar o Café da manha e o lanche da noite que o Abrigo oferece aos moradores , interessados  entrar em contato com o Educador Carlos Tosta após as 13h ou aos sabados da parte da manhã tel 979785322

15058570_1142091345897892_280144851_nHoje  a Branquinha encontrou o Papai Noel e já fez um pedido “quer passar o Natal  numa família que possa ficar com a Branquinha para sempre”, que tenha um sofá , muita pipoca, crianças e um jardim.Você pode nos ajudar a realizar o pedido?

Conhecemos a Branquinha , andando sempre de cabeça baixa no estacionamento perto da favela da Paz onde fazemos um trabalho de castração  de gatos e cães que vivem em situação de rua.
Com a crise, infelizmente muitos animais tem sido abandonados á própria sorte. 
Um dia  perguntamos se tinha dono e disseram que não mas que estava doente cheia de bicheira , na hora fizemos uma foto
e encaminhamos a dra Amarilis  . Dia 11 julho resgatamos a Branquinha que  ficou internada por 60 dias.

A Branquinha  teve alta da clinica  dia 2 de setembro.Está em um lar temporário, fez ELETROQUIMIO terapia na clinica VetCancer . no mês de outubro e está em processo final de recuperação.

.
 Para ajudar a Branquinha;
bradesco ag.2979 cc2678-6
nome M.C.G.M. de Almeida
cpf 075226648-96

15032338_1127627147358424_487076542584747667_nChico e Heitor convidam: venham comer tacos veganos amanhã na Casa Herbívora! E conhecer o Chico, que está procurando um lar amoroso, com uma FAMÍLIA que possa fazer uma ADOÇÃO POSSE RESPONSÁVEL. A comida começa às 17h e vai até às 21h – ou até acabarem os estoques. Tem taco de frijole refrito e taco de purê de batata roxa – com muitos toppings incluindo tofu scramble, guacamole, salsa. Vai ter também uma caixinha de contribuições para quem quiser ajudar o Chico deixando um troquinho para a sua castração, e quem contribuir vai partecípar de um sorteio de uma camiseta do Clube da Mancha. Venha para a apresentação do Chico para a sociedade Perdizense! Herbívora alimentando pessoas e ajudando os bichos. Cola e soma! Chega mais: https://www.facebook.com/events/691200467703023/

12962415_966658613441167_745251209_oMatéria publicada por ArcaBrasil

http://www.arcabrasil.org.br/doar-meu-animal.php

Quando trazemos um cão ou um gato para o nosso convívio assumimos um compromisso para toda a vida. Por isso que, antes de acolher um animal, avalie com cuidado: haverá atenção, tempo e recurso suficientes para as necessidades do companheiro? Afinal, trata-se de uma vida totalmente dependente de pessoas que zelem por ela com responsabilidade e compromisso.
Estudos apontam que no Brasil existem cerca de 32 milhões de cães (ANFALPET, 2010), 10% deles em estado de abandono. Tomando como exemplo apenas a cidade de São Paulo, isso significa 200 mil cães, ou seja, há uma enorme carência de lares para tanto bicho. Por isso, pense com carinho: você realmente não pode continuar com esse animal?
Se, em circunstância extrema, você for obrigado a se separar de seu amigo, NÃO O ABANDONE À PRÓPRIA SORTE. Além de ser crime (art. 32, capitulo V da Lei 9.605/98 – Lei dos Crimes Ambientais), nas ruas ele irá adoecer ou será vítima de crueldade, atropelamento e outros acidentes. Além disso, algumas separações são traumáticas. E tenha a certeza: ele confia e jamais faria o mesmo com você.
O destino desse animal depende unicamente de pessoas sensíveis e conscientes como você.

Em situação de urgência, siga este roteiro:

1º – Prepare o animal Leve seu amigo ao médico veterinário para ser vacinado, vermifugado e castrado.

Você pode entrar em contato com os Veterinários Solidários da ARCA Brasil. Não há compromisso de tratamento gratuito ou redução de preços, mas esses profissionais terão boa vontade em ajudar.
2º – Pesquise interessados
O “boca-a-boca” realmente funciona. Converse com pessoas que gostam de animais e explique a situação.3º – Divulgue!

Redes sociais: Facebook, Twitter, Blogs, Sites de protetores independentes , ONGs, agências de notícias sobre o direito dos animais… São muitos os canais de divulgação. Pode ser que, em algum deles, alguém esteja procurando um animal com a mesma descrição:

Sites especializados que podem ajudar:
www.pataapata.com.br

www.olharanimal.net
www.animaisonline.com.br
www.petbr.com.br
www.webanimal.com.br

Cartaz: O Lambe-Lambe amplia as chances de encontrar um novo lar para o bicho. É só preencher os campos e imprimir! Cole o cartaz em pet shops, clínicas veterinárias, mercados e demais pontos de circulação de pessoas.

· Se o animal é de raça, entre em contato com associações de criadores idôneas (o Kennel Club costuma ter essa relação). Eles poderão orientá-lo ou até mesmo se interessar pelo bicho.
· Procure eventos: Feiras de Adoção de Animais

4 º – Avalie o novo lar

Verifique se seu animal terá todos os cuidados necessários, se o espaço é adequado e, principalmente, se os novos donos estão preparados para assumir esta responsabilidade. Não entregue seu amigo a qualquer pessoa!Verifique se os candidatos possuem conhecimentos sobre o comportamento e temperamento da raça ou mistura de raças, se dispõem de tempo, etc., enfim, se realmente são aptos para a adoção.

Os abrigos podem ser uma opção?

Os abrigos  enfrentam enormes dificuldades para suprir carências básicas de seus “hóspedes”. Precisam do apoio de toda a sociedade e de uma gestão profissional, o que inclui um veterinário responsável. Em virtude da superpopulação, da falta de estrutura e de recursos, infelizmente muitos deles tem dificuldades em controlar doenças do ambiente.

Matéria publicada na ARCA BRASIL

http://www.arcabrasil.org.br/10-mandamentos-posse-responsavel.php

Faz 14 mil anos que a humanidade domesticou os cães. Já os gatos fazem parte do nosso cotidiano há bem menos tempo: cerca de 3.600 anos.Ou seja, nossos antepassados escolheram, milhares de anos atrás, colocar esses companheiros no nosso dia a dia. E, quando tomaram essa decisão, assumiram uma responsabilidade herdada por todos nós: o zelo pelo bem-estar desses animais.

Na medida em que a humanidade progride, também deve progredir a forma como nos relacionamos com as outras espécies. Assim, se no passado a relação homem-animal era exclusivamente utilitária (cães deviam guardar a propriedade, enquanto os gatos mantinham os roedores distantes dos celeiros), hoje temos conhecimento suficiente para compreender que o convívio com um bicho de estimação é sobretudo um privilégio – como muitas pesquisas demonstram, a presença de um pet nos ajuda a ser mais felizes, a ter imunidade melhor e até a viver mais tempo.

Desde então, a ARCA se dedica a projetos pioneiros de controle populacional e conscientização, à realização de Congressos e outros eventos e a uma série de ações que têm como objetivo fomentar a guarda responsável dos animais domésticos – além de trabalhos diversos nos campos da defesa dos animais silvestres e daqueles que são explorados pelas indústrias alimentícia, farmacêutica e de entretenimento.
Ainda no campo da defesa dos pets, a ARCA Brasil inovou ao elaborar os  dez mandamentos da Posse Responsável, material que baliza os bons procedimentos na guarda de animais de estimação e representa um marco importante na história da proteção animal no Brasil.

01 Antes de adquirir um animal, considere que seu tempo médio de vida é de 12 anos. Pergunte à família se todos estão de acordo, se há recursos necessários para mantê-lo e verifique quem cuidará dele nas férias ou em feriados prolongados.

02 Adote animais de abrigos públicos e privados (vacinados e castrados), em vez de comprar por impulso.

03 Informe-se sobre as características e necessidades da espécie escolhida – tamanho, peculiaridades, espaço físico.

04 Mantenha o seu animal sempre dentro de casa, jamais solto na rua. Para os cães, passeios são fundamentais, mas apenas com coleira/guia e conduzido por quem possa contê-lo.

05 Cuide da saúde física do animal. Forneça abrigo, alimento, vacinas e leve-o regularmente ao veterinário. Dê banho, escove e exercite-o regularmente.

06 Zele pela saúde psicológica do animal. Dê atenção, carinho e ambiente adequado a ele.

07 Eduque o animal, se necessário, por meio de adestramento, mas respeite suas características.

08 Recolha e jogue os dejetos (cocô) em local apropriado.

09 Identifique o animal com plaqueta e registre-o no Centro de Controle de Zoonoses ou similar, informando-se sobre a legislação do local. Também é recomendável uma identificação permanente (microchip ou tatuagem).

10 Evite as crias indesejadas de cães e gatos. Castre os machos e fêmeas. A castração é a única medida definitiva no controle da procriação e não tem contra-indicações

12959458_966658573441171_509294662_o

Você que acompanha nosso trabalho de Castração de animais em situação de rua deve lembra que no dia um de setembro castramos uma Mãezinha  e na hora de entregarmos a gatinha já castrada sua “Dona ” disse que não podería ficar com suas crias porque a gatinha já não as estava alimentando há 3 dias. Como não temos abrigo ficamos com o coração apertado e resolvemos na hora pegar toda a ninhada sem saber o que fazer.Passamos pela  Veterinária foram vermífugados e seguimos cuidando e divulgando .

Conseguimos fazer Adoções Posse Responsaveis  conjuntas de dois gatinhos para cada família e ontem a amiga que tinha adotado  só uma gatinha veio pegar a última porque ficou a semana toda vendo  que  a gatinha estava muito sózinha e triste e pensando  que a outra tb  e assim veio buscar a ultima. Foram 65 dias de cuidados e divulgação para fazermos adoções Posse Responsáveis de gatinhos filhotes. Sabemos que não é facil , por isto seguimos firmes que a única solução é a castração . 14938076_1131795080260852_1513107323_n

14997242_1131754086931618_693537367_nInfelizmente tivemos que cancelar nosso Mutirão de Castração, que ia ser realizado no dia 9 de Novembro, porque não conseguimos até ao momento arrecadar com a Nossa ” Vakinha ” virtual, o valor mínimo de 1500 reais para castrar dez cachorras que vivem em situação de rua procriando.  Sabemos que a Castração É a ÚNICA FORMA POSSÍVEL  para acabar com crias indesejadas, abandonos e maus tratos.

Fiquei pensando porque não conseguimos? Pensei que talvez você que não conseguiu nos ajudar, nem com uma pequena quantia talvez possa, por outro lado Adotar de forma Responsável um animal em situação de rua, ou ser  um Lar Temporário até que o mesmo seja adotado, ou possa dar uma Carona Solidária, contribuir com um saco de ração , uma vacina ? Porque todos os animais que nascem em situação  de rua precisam de tudo o que os da nossa casa  têm. E nós sabemos que não existem famílias para 75% dos animais já recolhidos por grupos de proteção.

Sabendo de tudo isto , REMARCAMOS o Mutirão de castração de 10 cachorras em situação de rua para o proximo dia 16 de Novembro e o de Dez gatinhas  para o dia 30 de Novembro. Contamos com a vossa ajuda  na “Vakinha ” virtual aberta para contribuição ate ao dia 8 de Novembro  e após esta data faça contato via Email clube-mancha@bol.com.br

Assim contínuamos precisando de  ajuda para tornar possível um pequeno sonho do mês de Novembro, a castração de 10 cachorras e 10 gatas que vivem em situação de rua no mês de Novembro.Para podermos realizar as cirurgias e possíveis tratamentos necessários desses animais. Quanto mais animais castrados, menos animais abandonados! e menos maus tratos e sofrimento, e assim criamos uma” Vakinha” virtual . Acesse compartilhe contribua e ajude a divulgar.

https://www.vakinha.com.br/vaquinha/mutirao-de-castracao-de-10-gatas-e-10-cachorras-de-nov-82214507-888c-4795-9bf5-354c5970e1d8

Aproveitamos para agradecer de forma Publica  ás Amigas que com ou sem “Vakinha Virtual ” sempre nos ajudam adotando um animal de rua, sendo lar temporário ,madrinhas de castração, dando caronas solidárias e uma vez mais Contribuíram  e contribuem sempre  AlessandraNahra, DanielaRessia, MarianaGianini, BiatrizMorgado, PatriciaCitrangulo, e AgustaMarchesan nosso muito obrigada

 

Os amigos animais
14961515_1127567874016906_678539465_n
Um atum mudou a minha vida. Não, eu não tive uma intoxicação alimentar semi-fatal depois de comer atum estragado. Foi um atum vivo que operou sua mágica em mim, quando eu o encontrei nadando, majestoso, prisioneiro em um aquário desses que as pessoas pagam pra visitar e ver peixes. Ali eu percebi que não podia mais comer atuns – que eles são seres únicos, indivíduos sencientes, que têm uma vida particular, não subordinada aos humanos. Não: o atum não existe para me alimentar. Aquele encontro me tocou profundamente. Mas, pra que isso acontecesse, foi preciso outro encontro antes. A Júpiter, minha primeira gata adotada, abriu meu coração pra todos os outros bichos do mundo. Por causa dela me envolvi com a proteção animal – e tive sensibilidade para absorver o aprendizado do atum… Eu acho que os bichos têm um plano secreto. Eles combinaram: nós, os bichos de “consumo” – vacas, galinhas, porcos, peixes etc – vamos viver em condições horrendas e sofrer pacas, porque os humanos precisam aprender o que eles têm que aprender. E nós, os bichos fofos – gatos, cachorros, hamsters etc – vamos entrar nas casas das pessoas e abrir o coração delas para a compaixão. Eu fui “pega” por uma gata e um atum! Cada encontro importa. Todos que encontro no meu caminho significam alguma coisa, todos têm algo pra me dizer. Por isso eu falo com pessoas na rua, quando vejo nelas algo que me entusiasma ou desperta a curiosidade – mesmo que não as conheça (ainda). Por isso sorrio, olho pra elas, falo bom dia, puxo conversa. Por isso eu paro, admiro, afofo e falo com cada bicho que atravessa meu caminho, seja cachorro, gato, pássaro, lagartixa, galinha, peixe. A gente tem que OLHAR os outros. E estabelecer as conexões entre corações. Nós somos todos companheiros de espaço-tempo. Já parou pra pensar na oportunidade que é estar vivo? E o quão ínfimo, na escala cósmica, é nosso tempo aqui na Terra? Não pode ser à toa que nos encontramos – eu, tu, esses bichos – nesse átomo de momento. Todo mundo tem um trabalho aqui na vida (e provavelmente não é esse aí do escritório). A gente tem que fazer o que a gente veio pra fazer. “A pessoa é pra o que ela nasce”. Persevera no teu trabalho cósmico. Conheci uma moça linda, lá na Bahia, cujo trabalho cósmico é alimentar passarinho e gente. E tem outra moça, a Patrícia, que tem o santuário Vale da Rainha, em Minas Gerais, que acolhe bichos domésticos e animais que seriam destinados ao abate ou à produção de alimentos. Ela faz fotos lindas, vídeos emocionantes, e textos que, invariavelmente, me fazem chorar (de amor). Ela diz que os bichos são os “mestres animais”. Que estão aqui para ensinar bicho gente a amar. O trabalho da Patrícia é tratar mestres animais que passaram (ou passariam) por poucas e boas. O trabalho da Cris Amigos da Mancha é olhar os bichos, levar no médico, curar – e ajudar os humanos deles. Gente que para, olha, ajuda os outros todos – seja humano ou animal. É assim que quero ser. eu sou a alessandra nahra vivo com 5 gatos e 1 cachorro (todos tirados das ruas) cultivo uma horta na laje de um sobrado em São Paulo gosto de sol mar viajar ler comer dançar ESCREVER alimentar os outros cuidar sou madrinha de resgates, adoções, castrações de bichos é pra isso que eu sirvo
Alessandra Nahra Leal ” nossa” Madrinha de Estimação da Preta Gil, cachorrinha resgatada da pç princesa Isabel pela familia do Cosme e da Vilma14501909_1092255300881497_2136759818_n

Precisamos de ajuda para tornar possível um pequeno sonho, a castração de 10 cachorras e 10 gatas que vivem em situação de rua no mês de Novembro.Para podermos realizar as cirurgias e possíveis tratamentos necessários desses animais. Quanto mais animais castrados, menos animais abandonados! e menos maus tratos e sofrimento, e assim criamos uma” Vakinha” virtual . Acesse compartilhe contribua e ajude a divulgar.

 

https://www.vakinha.com.br/vaquinha/mutirao-de-castracao-de-10-gatas-e-10-cachorras-de-nov-82214507-888c-4795-9bf5-354c5970e1d8

Os AMIGOS da MANCHA são o resultado de muitos encontros. O encontro consigo mesmo, que nos desperta sobre o nosso papel no mundo, o encontro com o outro, que reúne pessoas em torno de uma causa ; a construção de um mundo melhor, onde queremos  que todos os ANIMAIS fossem reconhecidos por sua contribuição para a qualidade das nossas vidas.

Desde Abril 2016 Conseguimos tornar possível  um pequeno sonho, um projeto conjunto com a dra Eliane o Dr tineu e a Dra Camila   nossas Amigos de Estimação,de castração dos animais das Favela do Moinho e Favela da Paz onde sempre encontramos pessoas muito carentes , mas como nós apaixonadas pelos animais.20160720_120815 Ouvimos muitas histórias dessas famílias , muitas desempregadas,12959458_966658573441171_509294662_o12966374_966657816774580_790287403_n
que fazem muitos sacrifícios para ter e manter um grande número de animais em suas minúsculas casas, algumas  de um cómodo20160720_114225 só, pois preferem tê-los do que vê-los abandonados, sendo mal tratados , morrendo na rua e na porta de casa . E são essas histórias que não nos deixam desistir de nosso objetivo, pois queremos acabar com a crueldade e o abandono dos animais. Gostaríamos de lançar aqui, um pedido de Apadrinhamento que possamos continuar castrando os animais destas comunidade e de outros que se encontram em situação de rua. Nosso pedido é que; Padrinhos e Madrinhas façam doações para podermos realizar as cirurgias e possíveis tratamentos necessários desses animais. Um pouquinho de cada um, faz uma enorme diferença nessas histórias … Ainda falta um longo caminho para chegarmos em nossas metas mas, por favor, divulguem o nosso projeto para seus contatos , grupos e amigos, quanto mais animais castrados, menos animais abandonados! e menos maus tratos e sofrimento.

Aproveitamos para deixar aqui nosso Obrigada a todos os animais de rua que nos encontraram e partilharam suas vidas conosco,vocês são nossos  mestres e nos levam para o encontro de pessoas e sonhos onde nascem historias que transformam nossos pequenos mundos. e nos acompanhem no blog www.clubedamancha.wordpress.com e no instagram ” amigosdamancha

Hoje na ação com os MRSC conhecemos a Sarah que vive há já 14 anos na rua ,7 meses ficou viuva, com 4 gatos  com aproximadamente 8 anos  a Pantera , o Tigrão , a Princesa e a Belinha, isso mesmo gatos que vivem em situação de rua à todo esse tempo dividindo as horas boas e as mais dificeis, todos eles resgatados da rua onde foram abandonados.14826347_1115186911921669_2050663995_n 14807932_1115188301921530_1177545478_o 14808005_1115188221921538_601856939_o Tem tambem 5  cães Brisa, Estrela , Rex , July e o Spyke . Seja qual for sua dificuldade não abandone seus amigos de estimação.14797294_1115188978588129_588090259_n

A realidade hoje em dia quanto aos animais em situação de rua é muito diferente , Hoje na ação conjunta com o MRSC conhecemos a D.Célia que há mais de 8 anos cuida e acolhe os cães de rua em frente do seu prédio . Levou as cachorras á sua veterinária e pagou a castração e todos os dias vem com seu carrinho de feira trazer comida , almoço e jantar para a Shi-Ra  , arroz integral, peito de perú ,frango desfiado, macarrão aos domingos  e pastel no dia de feira , eeeeee isso mesmo. Trás tambem água do filtro . É isso a Dona Célia tem alergia e assim tem cães compartilhados com as pessoas que vivem em situação de rua . Bom sería  ter muitas Donas  Célias  14805618_1115274021912958_62912261_n14786969_1115187365254957_795435564_o

Nas ações do  MRSC , moradoresderuaeseuscaes   a  DraSilvia é responsável pela parte médico veterinária dos cães de rua. E nos  acolhe também orientando quanto a necessidade de castrar  as fêmeas para que não se reproduzam, orienta a castração  dos machos para que não briguem por território  e tambem  quanto ao tratamento dos cães com sarna, que por viverem em situação de rua com pulgas ,  alimentação insuficiente  acabam por ter baixa imunidade  e as doenças oportunistas se instalam. A dra Silvia acolhe a todos, respondendo ás dúvidas  dos moradores de rua vacinando ,  pondo as coleiras da  bayer e orientando quanto ao uso correto.14826252_1115191755254518_466650302_n14625583_1115191325254561_1211712941_o14795885_1115192615254432_1041476028_o 14813260_1115192745254419_1635947021_o 14825625_1115192081921152_627869131_n

Conhecemos o EduLeporo 14793901_1115187668588260_1539817813_n 14795793_1115190575254636_1557313410_o 14795885_1115192615254432_1041476028_o 14798762_1115193158587711_1126201769_n 14799935_1115189631921397_1242663708_o 14813203_1115189661921394_1536779091_o em ações solidárias de  acolhimento dos Moradores de rua e seus Cães no Centro de São Paulo sempre entregando muitos lanches  com os meninos da kombosa solidária , coleiras anti pulgas e carrapatos da Bayer,kits de higiene pessoal  ,coleiras e guias pros cães,roupas prós moradores de rua.  O Edu que virou AMIGO de ESTIMAÇÃO , e passou tambem a nos ajudar fazendo doações de coleiras da Bayer para os nossos Mutirões de castração e cobertores. Amigo FOTOGRAFO  que tambem faz lindas fotografias, mas tambem larga a máquina fotográfica para segurar o cachorro , põe a mão na massa para carregar as doações,  e sempre gentil pára o que está fazendo para atender de forma carinhosa o morador em situação de rua que quer uma foto . É isso um amigo que é exemplo para todos nós.

Fomos convidadas por EduLeporo , do MRSC  para a ação mensal de  acolhimento dos Moradores de rua e seus Cães no Centro de São Paulo ,foi assim ;muitos lanches entregues com os meninos da kombosa solidária ,muitas vacinas V10 e anti rábicas aplicadas pela DraSilvia NG ,muitas rações,kits de higiene pessoal ,coleiras de pulgas da Bayer  ,coleiras e guias pros cães,roupas prós moradores de rua e. Nós dos Amigos da Mancha  acompanhamos e vimos que dos 35 cães vacinados  5 fêmeas tambem precisam ser castrados.  E para isso  precisamos arrumar madrinhas e padrinhos que nos ajudem para que  a Ação conjunta  MRSC , SilviaNG e Amigosdamancha se complete.14826407_1115185671921793_1551578845_n14055793_1115186455255048_265182289_n-114793943_1115186271921733_371927031_n14797527_1115186091921751_553350065_nNão  mais crias indesejadas , abandono e maus tratos .Se Você  quiser  ajudar contato via email  clube-mancha@bol.com.br14801163_1115186428588384_1113733382_n

Adotei um  cãozinho com dois meses o ” Lobinho” . 14724163_1105388569568170_197995934_oCaramba, já me tinha esquecido o furacão que é ter um filhote em casa….Há todo o lado da foufura, meiguice etc mas não nos podemos esquecer que eles são filhotes 14689052_1105388036234890_2123702233_oe  como tal precisam de companhia constante e de atenção e se ficarem sozinhos destroem tudo. Temos que estar conscientes que é muito trabalhoso mas por outro lado é gratificante. Eles são muito carinhosos e alegres.
O meu,o Lobinho, fez agora 6 meses. Destruiu o jardim de  casa,mesmo tendo  chamado o adestrador no mesmo dia em que chegou para lhe ensinar a ter ” modos” ….
Eles vêm sem saber conviver   num ambiente ocupado por gente, vai de nós ensinarmos mas sempre com amor, recompensando quando acertam, mostrando o que podem  e o que não podem, levando a se exercitarem o máximo possível. 14699927_1105388876234806_2002061786_nNo fim eles crescem até rápido mas temos que desenvolver a nossa paciência.

%d blogueiros gostam disto: